Inicio » Colunistas » Coluna – Felizes para Sempre: Fusca ou Ferrari?

Coluna – Felizes para Sempre: Fusca ou Ferrari?

Olá leitores!

Como sempre falamos sobre relacionamento, mais precisamente sobre casamento, algumas vezes ouvimos conversas entre homens ou mulheres comparando o seu parceiro com algum tipo de objeto. O que por si já é um insulto, mas em nossa sociedade esse pensamento segue livre e aceito.

Você alguma vez já ouviu alguém dizer que sua esposa ou seu marido é um “fusquinha” e qualquer pessoa da rua que pareça interessante é uma “Ferrari”? Se não ouviu, saiba que isso existe, as pessoas tem a tendência de achar que a grama do vizinho é sempre mais verde, ou seja, se tenho um parceiro, eu penso que se talvez eu tivesse com outra pessoa eu seria mais feliz, mas muitas vezes essa comparação não é feita pelo caráter, mas sim pela beleza imposta pela sociedade.

A pessoa que está ao seu lado e não é mais valorizada é o “fusquinha”, porém existe uma ironia nessa teoria: Qualquer Ferrari pode virar um Fusquinha, mas como? Imagine um homem que está casado, porém não sente mais atração pela sua mulher, assim dispara olhares para qualquer mulher pela rua, achando que todas são a “Ferrari” tão desejada, então ele trai a esposa com uma dessas “Ferraris”, se separa e passa a morar com o tão desejado “carro”, porém passando o tempo, vindo os problemas e o tempo ele percebe que a Ferrari está se transformando em um fusquinha, ele nunca ficará satisfeito é um ciclo vicioso.

Desde quando sua esposa ou marido deixou de ser uma Ferrari? Na época do cortejo eles eram as pessoas mais interessantes do mundo, e por que isso mudou? Por que valorizar uma pessoa pela aparência enquanto seu parceiro está ao seu lado em momentos bons ou ruins? Não estou falando aqui de caráter, por que se você se casou com alguém que não te trate bem e não demonstre um amor genuíno e respeito, qualquer pessoa “na rua” será interessante, mas isso não justifica a traição, se não pode mais ficar junto, separe-se. O que estou falando é da cultura da aparência imposta.

Do mesmo jeito de que quem dirige uma Ferrari é muito melhor visto do que quem dirige um fusca, as pessoas desejam namorar um “mulherão” ou um “malhadão”, somente para mostrar aos outros o quanto é sortudo, porém nem sempre a beleza vem com o brinde do amor verdadeiro. Assim existem muitas pessoas dirigindo “Ferraris” infelizes enquanto outros dirigem “Fusquinhas” com toda felicidade.

Exceções ocorrem de todos os lados, só não podemos taxar a felicidade na beleza e principalmente não desvalorizar quem está do nosso lado sempre, mesmo com defeitos, por que todos têm defeitos, pode não parecer por fora, mas por dentro podem ser piores. Não se iludam, com sorrisinhos, educação e carinho, isso até as prostitutas fazem. Crie uma base em seu relacionamento para que ele possa perdurar anos e que nada possa abalar a fidelidade e o caráter de ambos.

Por Letícia Romero

Letícia Romero
Letícia Romero
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

O responsável pela cirurgia o neurocirurgião César Felipe Gusmão Santiago

Montes Claros – Santa Casa de Montes Claros realiza cirurgia inédita para retirada de tumor cerebral

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 9 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).