Inicio » Minas Gerais » Centro Oeste de Minas » MG – Falta de água faz prefeito de Pará de Minas decretar estado de calamidade pública

MG – Falta de água faz prefeito de Pará de Minas decretar estado de calamidade pública

Em decorrência de falta de água, o prefeito de Pará de Minas, Antônio Júlio, decretou situação de calamidade pública. O decreto é uma forma de facilitar as ações da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) para revolver o problema de abastecimento na cidade, que fica no Centro-Oeste mineiro.
MG - Falta de água faz prefeito de Pará de Minas decretar estado de calamidade pública
MG – Falta de água faz prefeito de Pará de Minas decretar estado de calamidade pública

Essa não é a primeira vez que Antônio Júlio toma decisões desse grau de importância em relação à falta de água no município. Em outubro do ano passado, ele chegou a decretar estado de emergência. No entanto, a situação se agravou de forma drástica nesta semana, principalmente nos bairros localizados nas partes altas, como o Padre Libério, Recanto da Lagoa e Santa Edwiges. Em outras localidades, o abastecimento também está bastante complicado e os moradores estão sem água há pelo menos dois dias.

Segundo dados da Copasa e da Secretaria Municipal de Agronegócio, Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, os mananciais que abastecem Pará de Minas sofreram uma redução significativa. Só nos últimos meses, a vazão média de água por segundo está entre 80 e 120 litros, sendo que o ideal seria 260.
José Gomes, gerente da Copasa em Pará de Minas, informou ao prefeito que uma das medidas que a estatal está adotando para amenizar os transtornos é a contratação de mais caminhões-pipa.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).