Inicio » Colunistas » Coluna – Felizes para Sempre: Adequação

Coluna – Felizes para Sempre: Adequação

Olá leitores!

Existem muitas teorias sobre a vida a dois e cada casal tem realmente seu modo de viver, não existe uma forma padronizada ou uma regra para ser um casal feliz: “o casal que viaja sempre é feliz”, “o casal que fica mais tempo em casa é feliz”, “o casal que quase não se vê é feliz”, cada um tem seu pensamento, porém isso não é uma verdade universal.

As pessoas procuram nos filmes românticos ou novelas uma formula para a felicidade a dois, mas como eu já disse várias vezes a formula está na sua escolha, cada um sabe aonde seu “calo aperta”, cada um sabe que pode aguentar ou não, então não existem regras, existem escolhas. Talvez sua amiga casou-se com um homem insensível e frio, porém mesmo com as reclamações ela continua com ele e diz que gosta dele, você não entende por que ela aguenta um parceiro assim e pensa: “eu não aguentaria!”, mas esquece-se que você não é ela.

Sempre repito que cada um tem a sua forma de agir e de se relacionar, não digo que uma mulher com um marido insensível e frio irá ser feliz, pelo contrário, ela terá um bom trabalho de engolir muitos sapos e negar seus sentimentos para manter a paz no relacionamento, mas essa foi a escolha que ela fez e o modo que ela escolheu viver, isso pode prejudicar ela? Sim, mas ela tem que perceber isso, mesmo você percebendo não irá conseguir abrir os olhos desta pessoa.

Quando você escolhe alguém que respeita seus sentimentos, tem paciência para ouvir seu ponto de vista, gosta de resolver os problemas de uma forma civilizada, mostra que se importa realmente com você, é atencioso e demonstra amor, tenha certeza que a convivência será bem mais fácil, mesmo se passarem por problemas. No caso os dois teriam que ter essas características básicas de uma pessoa adulta o contrário disso seria infantilidade.

Mas como nem todos tem essas características você acaba encontrando uma pessoa que não supre suas expectativas, e se acomoda a essa situação, esquecendo-se que a principal habilidade do homem é a mudança e tanto você como seu parceiro podem se adequar para melhorar esse relacionamento, com uma terapia de casal, bons aconselhamentos, livros ou convivência; tirando as ervas daninhas que prejudicam o outro, a vida a dois fica bem mais fácil.

Porém existem pessoas que não querem mudar nem por elas mesmas e nem para os seus parceiros, e assim vivem a vida toda engolindo sapos, dormindo tristes e chorosos, guardando mágoas, tem um casamento de anos onde ninguém é feliz, pois a culpa sempre é do outro, seria muito mais fácil os dois se adequarem para se ter uma boa convivência, mas nem todo mundo quer, por que é trabalhoso.

Saiba que você nunca encontrará alguém pronto, um príncipe encantado ou uma princesa que vai suprir todas as suas expectativas na primeira vista e nunca vão brigar, isso é utopia. O que você pode encontrar é uma pessoa que esteja disposta a se adequar a você e você esteja aberto a se adequar a essa pessoa, procurando o bem estar, a mudança constante daquilo que fere o outro. Cada um tem seu jeito, sua forma, o principal é achar um jeito de fazer sempre o outro feliz.

Por Letícia Romero

 

Letícia Romero
Letícia Romero
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

VLI abre vagas para programa Jovem Aprendiz em Montes Claros

VLI abre vagas para programa Jovem Aprendiz em Montes Claros

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 8 de dezembro de 2016.VLI abre vagas …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).