Inicio » Mais Seções » Saúde – Quase 90% dos brasileiros lamenta ter começado a fumar

Saúde – Quase 90% dos brasileiros lamenta ter começado a fumar

Os  resultados da Pesquisa Internacional de Tabagismo (ITC) mostram que quase 90% dos fumantes brasileiros lamentam ter aderido ao hábito, com mais da metade (54%) relatando um alto grau de dependência da nicotina. Os dados foram apresentados nesta sexta-feira (30), em um evento que marcou a celebração do Dia Mundial sem Tabaco, na sede da Organização Pan-americana da Saúde (Opas), em Brasília.

Entre os fumantes entrevistados, 69% têm uma opinião negativa sobre o tabagismo
Entre os fumantes entrevistados, 69% têm uma opinião negativa sobre o tabagismo

Entre os destaques da pesquisa, está o fato de que 69% dos fumantes acreditam que a sociedade brasileira desaprova o tabagismo e têm uma opinião negativa sobre o hábito. O estudo também mostra que o consumo diário de cigarros é relativamente alto nas três cidades brasileiras pesquisadas (Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre), com um número médio de 17 cigarros por dia.

A vontade de parar de fumar é algo comum à maioria dos tabagistas, com 80% dos entrevistados entre 2012 e 2013 admitindo que tentaram abandonar o vício. Entre os motivos mais citados estão a preocupação com a saúde e com o efeito da fumaça aos não fumantes, a vontade de dar exemplo para os filhos e as advertências sanitárias nos maços de cigarros.Ainda de acordo com a pesquisa, a maioria dos fumantes (90%) apoia a proibição total do fumo em locais públicos fechados.

A pesquisa mostrou também que a elevação dos impostos, e consequentemente do preço final do cigarro para o consumidor, é uma política eficaz no combate ao vício. Os dados mostram que os cigarros se tornaram economicamente menos acessíveis entre 2009 e 2013, com uma redução média de consumo anual de 2%. Metade dos fumantes entrevistados pensou em parar de fumar ou diminuir a quantidade de cigarros para economizar.

O ITC foi coordenado pela Universidade de Waterloo, no Canadá, em 20 países. No Brasil, a pesquisa foi feita pela Secretaria Executiva da Comissão Nacional de Implementação da Convenção-Quadro (Conicq/ Instituto Nacional de Câncer), com a parceria da Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad), da Fundação do Câncer, do Centro de Estudos do Tabaco e Saúde (Cetab/Fiocruz) e da Aliança de Controle do Tabagismo (ACT).

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).