Inicio » Mais Seções » Entretenimento » Há 50 anos a bossa nova invadia o mundo

Há 50 anos a bossa nova invadia o mundo

O ano de 1964, na história da música popular, é conhecido com o da “British invasion”. Foi quando os Beatles lideraram uma enxurrada de grupos da Inglaterra que tomaram conta das paradas dos EUA. Entretanto, no mesmo ano, aconteceu outra invasão: a da bossa nova, que já vinha desenhando-se desde 1962 e se consolidou finalmente com o álbum Getz/Gilberto – Stan Getz & João Gilberto featuring Antonio Carlos Jobim.O disco foi lançado em maio de 1964 e o aniversário de 50 anos é lembrado pela gravadora Verve, com um relançamento deluxe: o disco original remasterizado, em estéreo e mono (que aparece em CD pela primeira), mais os singles de Garota de Ipanema (Tom/Vinicius) e Corcovado (Tom Jobim).

Como a baiana Astrud Gilberto se tornou estrela por acaso
Como a baiana Astrud Gilberto se tornou estrela por acaso

Gravado em março de 1963, produzido por Creed Taylor. Stan Getz e João Gilberto são acompanhados por Tião Neto (baixo), Milton Banana (bateria) e Tom Jobim (piano). Seis das canções levam a assinatura de Jobim (só ou com parceiros), uma é de Dorival Caymmi (Doralice) e outra de Ary Barroso (Pra machucar meu coração). É um álbum perfeito na sua sofisticada simplicidade, mas certamente não teria a repercussão extraordinária se o acaso não tivesse dado sua contribuição, na pessoa de uma baiana (filha de pai alemão) chamada Astrud Evangelina Weinert, ou Astrud Gilberto, na época casada com João Gilberto.

Responsável involuntária pelo sucesso de Getz/Gilberto featuring Antônio Carlos Jobim, Astrud não estava na programação do disco (seu nome nem aparece na capa). Ela ia ao estúdio A & R Recordings em Manhattan, Nova Iorque, para acompanhar o marido. Até então, Astrud Gilberto, com 22 anos, só cantava em reuniões de amigos. No livro de memórias Gravando – Os bastidores da música (Guarda-Chuva Editora, 2008), de Phil Ramone, produtor e sócio do A & R Recordings, a cantora conta sobre o dia em que entrou para a história da MPB e do jazz:

“Vim para os EUA com João, porque ele se comprometeu a gravar o álbum Getz/Gilberto. Um dia, poucas horas antes de Stan Getz vir ao nosso hotel para um ensaio que ele e João haviam planejado, ele (João), me disse, com um ar de mistério: ‘Você vai ter uma surpresa hoje’. Implorei para que ele me dissesse o que era, mas ele se negou terminantemente”. Mais tarde quando eles estavam passando a canção Garota de Ipanema, João displicentemente pediu que eu me juntasse a eles e cantasse um refrão em inglês, depois que ele acabasse de cantar o primeiro refrão em português. Então, fiz isso. Quando acabamos de executar a canção, João virou-se para Stan e disse (em inglês macarrônico): ‘Amanhã Astrud vai cantar no disco – o que acha?’”. Ela revelou que estava muito tensa, era sua primeira gravação. Foi tranquilizada por Stan Getz que lhe sussurrou ao ouvido: “Esta canção vai fazer de você uma estrela”.

O produtor Creed Taylor pediu que Phil Ramone cortasse um disco apenas com a voz de Astrud Gilberto e mandasse para Sarah Vaughan, como uma demo. A diva do jazz não se interessou pela música. Nunca se soube bem como,The girl from Ipanema (versão para o inglês de Norman Gimbel) com Astrud Gilberto entrou no lado B de um compacto de Stan Getz tocando Blowing in the wind (Bob Dylan). Um DJ (disc-jockey), de Columbia, Ohio, preferiu o lado B. A música estourou na cidade, no Estado e nos Estados Unidos, levando junto com ela o álbum Getz/Gilberto, que vendeu 1 milhão de cópias, ganhou o Grammy de Melhor Álbum do ano e Melhor Gravação do ano para a faixa Garota de Ipanema. Astrud Gilberto não ganhou o de Revelação do ano, que em 1964 ficou com os Beatles. 

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).