Inicio » Colunistas » Coluna – Os delírios do deputado Vicentinho

Coluna – Os delírios do deputado Vicentinho

O bonifrate deputado Vicentinho (PT-SP), a serviço do partido e dos mensaleiros condenados, reportando-se ao ministro Joaquim Barbosa, balbuciou: “A postura dele não foi de um estadista do Poder Judiciário. Constatamos uma postura carregada de ódio que não caberia a um juiz”.

Joaquim Barbosa deixará ao país um legado de esperança aos brasileiros desacreditados com o Judiciário e com os políticos nacionais.

Somente um pobre parlamentar de pensamento parvo, surgido das entranhas polutas do peleguismo sindical, pode fazer considerações rasteiras acerca do comportamento do ministro Joaquim Barbosa.

Quem é o deputado Vicentinho para desmerecer o brilho, a competência e a seriedade de Joaquim Barbosa? O deputado nunca teve competência nem para prestar um concurso público de qualidade e ser aprovado, ao contrário do ministro. A competência de Vicentinho é mamar sempre no cabide de emprego público, elegendo-se parlamentar graças ao imoral voto obrigatório, que arrasta às urnas incautos eleitores, os quais elegem qualquer um.

No seu obscurantismo, estadistas do Poder Judiciário são, por exemplo, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, ministros (petistas) que não tiveram coragem de romper o vínculo da indicação com as funções judiciárias que passaram a exercer.

A sua surpresa, e de outros petistas, foi não encontrar no mineirinho de Paracatu e presidente da Suprema Corte receptividade nos argumentos dos defensores no processo do mensalão. Como ousa esse deputado, descortesmente, empanar o brilho de um magistrado que não se intimidou com a avalanche de renomados advogados, pagos a peso de ouro, para defender a quadrilha do PT?

O ódio, durante o julgamento, não emanava do ministro, mas sim daqueles corruptos e defensores petistas que não se conformavam em ver um magistrado inaugurando uma postura hercúlea, corajosa, judiciosa e republicana na Suprema Corte. E contra fatos não há argumentos: das 112 votações nas sessões de denúncia dos mensaleiros, Barbosa ganhou todas, 96 por unanimidade. Dos 37 réus, ele votou pela condenação de 32. O tribunal condenou 25. Assim, onde estava “uma postura carregada de ódio que não caberia a um juiz”, ó desmiolado deputado Vicentinho?

Júlio César Cardoso

Bacharel em Direito e servidor federal aposentado

Balneário Camboriú-SC

Julio Cesar Cardoso
Julio Cesar Cardoso
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).