Inicio » Política » Câmara dos Deputados aprova exigência de farmacêuticos em drogarias

Câmara dos Deputados aprova exigência de farmacêuticos em drogarias

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei que torna obrigatória a presença de farmacêuticos durante todo período de funcionamento de drogarias ou farmácias de manipulação. A matéria segue para análise do Senado.

Câmara dos Deputados aprova exigência de farmacêuticos em drogarias
Câmara dos Deputados aprova exigência de farmacêuticos em drogarias

O relator do projeto, em trâmite há 20 anos, teve um texto substitutivo apresentado pelo deputado Ivan Valente (Psol-SP) em 1997. Segundo o parlamentar, há profissionais suficientes para suprir a demanda do mercado.

Pelo texto, o proprietário de farmácias não poderá desautorizar as orientações do farmacêutico. Segundo o relator do projeto, a lei atual, de 1973, só deixa clara a obrigatoriedade de farmacêuticos em farmácias de manipulação.

“Quando fizemos o substitutivo, havia 50 mil farmacêuticos, hoje tem 150 mil. Na época, esse era o argumento. Agora não é mais”, disse Valente. Esse projeto nós tiramos qualquer caráter corporativo dele. (…) É oferecer um direito ao cidadão brasileiro, ao chegar a um estabelecimento que presta assistência farmacêutica e poder ser atendido por um profissional habilitado em um país em que a maior causa de intoxicação é pelo uso inadequado de medicamentos”, afirmou.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).