Inicio » Nacional » Brasil – Pai e padrasto suspeitos de estupro são presos no Mato Grosso do Sul

Brasil – Pai e padrasto suspeitos de estupro são presos no Mato Grosso do Sul

Dois suspeitos de estupro contra adolescentes foram detidos por policiais de Água Clara (Mato Grosso do Sul) durante cumprimento a mandados de prisão preventiva. Ambos os casos envolvem relações familiares. 

Brasil - Pai e padrasto suspeitos de estupro são presos no Mato Grosso do Sul
Brasil – Pai e padrasto suspeitos de estupro são presos no Mato Grosso do Sul

A primeira prisão ocorreu na sexta-feira. Um homem de 35 anos foi detido por suspeita de violentar sexualmente a filha de 11 anos. De acordo com a Polícia Civil, a menina contou para a madrinha, com quem reside em Paranaíba (MS), que não queria passar as férias escolares com o pai em Água Clara em julho porque ele teria abusado dela nas férias de 2013. A mulher denunciou o caso à polícia e o suspeito foi preso. 

Dois dias depois, outro homem, de 34 anos, foi flagrado pela companheira dele abusando da enteada de 9 anos em uma fazenda do município. Testemunhas confirmaram o caso e o suspeito foi detido na segunda-feira. 

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).