Inicio » Esporte » Copa 2018 » Copa 2018 – CBF apresenta Dunga como treinador da Seleção

Copa 2018 – CBF apresenta Dunga como treinador da Seleção

Dunga está realmente de volta.

Nesta terça-feira, a CBF oficializou o que já era informado por uma série de veículos de comunicação desde a última semana. Treinador da Seleção Brasileira entre 2006 e 2010, Carlos Caetano Bledorn Verri, o Dunga, retorna ao cargo de maneira surpreendente para o próximo ciclo. Ele foi apresentado por José Maria Marin, presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, seu vice e sucessor eleito, e ainda Gilmar Rinaldi, coordenador geral de seleções.

Copa 2018 - CBF apresenta Dunga como treinador da Seleção
Copa 2018 – CBF apresenta Dunga como treinador da Seleção

“É um atleta que foi campeão do mundo, foi capitão de uma seleção campeã e demonstrou capacidade para dirigir a Seleção Brasileira”, disse José Maria Marin, presidente da CBF. “Isso ficou demonstrado através de números, não apenas de palavras, de que possui todos os requisitos e capacidade para dirigir novamente a Seleção Brasileira”, acrescentou Marin.

“Foi uma escolha feita através da participação de todos que estão aqui nesta mesa, numa demonstração de unidade e total integração visando grandes conquistas no futuro. Um homem experimentado, tanto no campo como fora dele. E todos nós aqui desta mesa depositamos total confiança na sua competência e capacidade de trabalho”, descreveu Marin sobre Dunga.

Anunciado na quinta-feira passada, Gilmar foi o responsável direto pela escolha do novo treinador. Companheiros na Seleção que venceu a Copa de 94, Dunga e ele, dois gaúchos, têm amizade há décadas. Foi o dirigente recentemente contratado pela CBF que resolveu dar uma nova oportunidade ao técnico que acabou dispensado após o Mundial da África do Sul.

Campeão da Copa América 2007, líder das Eliminatórias Sul-Americanas e campeão da Copa das Confederações, Dunga comandou a Seleção que acabaria eliminada pela Holanda nas quartas de final da Copa 2010. Mesmo assim, deixou o cargo com aproveitamento de 76,6% nos 60 jogos disputados. Foram 42 vitórias, 12 empates e seis derrotas.

Cobiçado por uma série de clubes e países durante três anos, Dunga teve apenas um trabalho desde a saída da Seleção Brasileira. Ele assumiu o Internacional para a temporada 2013 e, apesar do título gaúcho, foi demitido no início de outubro. Sem o Beira-Rio à disposição e mesmo com desavenças internas, o treinador teve aproveitamento de 59,8%. Foram 26 vitórias, 19 empates e nove derrotas.

Convidado por Gilmar Rinaldi quando já tinha um acerto encaminhado para dirigir a Venezuela, Dunga terá calendário cheio pela frente. Além da disputa das Eliminatórias a partir de 2015, o Brasil irá enfrentar duas edições da Copa América – no Chile, também em 2015, e nos Estados Unidos, em 2016, com seleções da Concacaf. Caso vença em território chileno, automaticamente jogará a Copa das Confederações de 2017, na Rússia.

A reestreia de Dunga pela Seleção Brasileira já tem data, local e adversários definidos. No próximo dia 5 de setembro, o Brasil pega a Colômbia em Miami, no Estádio Sunlife. O jogo seguinte é diante do Equador, em 9 de setembro, no Estádio MetLife, em Nova Jersey. Ambos os compromissos ocorrem às 22h (de Brasília).

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).