Inicio » Política » Eleições 2014 – De 0 a 10, eleitor dá ao governo Dilma nota 5,4 em pesquisa

Eleições 2014 – De 0 a 10, eleitor dá ao governo Dilma nota 5,4 em pesquisa

A propaganda eleitoral gratuita na TV e no rádio só começará em 19 de agosto, mas há um número que desde já parece indicar que a eleição de 2014 será mais difícil para a presidente Dilma Rousseff do que a de 2010: a nota média dada pelo eleitor brasileiro à administração atual. Segundo a pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, o governo federal está com nota 5,4 neste momento – mais de dois pontos abaixo da que Lula teve em junho de 2010, quando recebeu nota 7,8 dos entrevistados pelo instituto.

Eleições 2014 - De 0 a 10, eleitor dá ao governo Dilma nota 5,4 em pesquisa
Eleições 2014 – De 0 a 10, eleitor dá ao governo Dilma nota 5,4 em pesquisa

A diferença entre o humor do brasileiro em relação ao governo federal hoje e naquela época é grande. Se há quatro anos 72% dos brasileiros achavam que seu poder de compra e o das pessoas ao seu redor havia melhorado nos dois anos anteriores, agora apenas 42% acham o mesmo. A situação é parecida em relação às oportunidades de emprego: 56% haviam dito que elas haviam avançado em 2010, contra 36% atualmente.

Serviços públicos

O problema não se concentra apenas na esfera econômica, mas atinge também a avaliação por parte do eleitorado em relação aos serviços públicos. A queixa da população em relação ao atendimento oferecido pelo poder público em geral foi destaque nas manifestações que se espalharam pelo País em junho de 2013.

Atualmente, só um em cada quatro brasileiros acha que a educação pública melhorou nos últimos anos, metade do que havia respondido o mesmo em 2010. A avaliação crítica é ainda mais intensa em relação à saúde: 16% dizem que ela está melhor hoje, contra 37% no último ano do governo Lula. Há discrepância também em relação à segurança pública: o porcentual de entrevistados que percebia avanço caiu de 30% para 18%.

Fim da Copa

A pesquisa também mostrou que a Copa do Mundo no Brasil não impactou a maneira pela qual os brasileiros avaliam o governo Dilma. Assim como no último levantamento do Ibope feito durante o início do torneio, há mais gente considerando a gestão da presidente como ruim e péssima do que como ótima e bom.

No total, 31% dos eleitores avaliam o atual governo como positivo, contra 33% que o consideram ruim ou péssimo. Outros 36% o consideram regular. A avaliação negativa se concentra nos mesmos extratos que dizem não votar na presidente Dilma Rousseff: pessoas de alta escolaridade e renda e que moram em cidades com mais de 500 mil habitantes.

Novamente, a comparação desses números com os do governo Lula revela um quadro completamente distinto. Em junho de 2010, a proporção de brasileiros que avaliavam sua administração como ótima e boa era de 75%, quase duas vezes e meia maior do que a atual. Apenas 5% diziam que ele estava sendo ruim ou péssimo. E, enquanto 50% dos entrevistados do Ibope dizem que desaprovam a maneira como Dilma está governando o Brasil, apenas 11% diziam o mesmo de Lula quatro anos atrás. 

Agência Estado
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

VLI abre vagas para programa Jovem Aprendiz em Montes Claros

VLI abre vagas para programa Jovem Aprendiz em Montes Claros

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 8 de dezembro de 2016.VLI abre vagas …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).