Inicio » Minas Gerais » MG – Escrivã é condenada a 14 anos de prisão por desvio de de R$ 650 mil de contas judiciais

MG – Escrivã é condenada a 14 anos de prisão por desvio de de R$ 650 mil de contas judiciais

Uma escrivã da 1ª Vara Cível de Pouso Alegre, no Sul de Minas foi condenada a 14 anos, oito meses e vinte dias de prisão por desviar mais de R$ 650 mil  de contas judiciais. A sentença determina ainda o pagamento de 165 dias-multa e a perda do cargo e da função pública.

MG - Escrivã é condenada a 14 anos de prisão por desvio de de R$ 650 mil de contas judiciais
MG – Escrivã é condenada a 14 anos de prisão por desvio de de R$ 650 mil de contas judiciais

De acordo com a denúncia, a servidora emitia alvarás e colocava seu próprio nome como beneficiária de valores depositados em juízo ou pagos a títulos de custas processuais pelas partes do processo. Após o desvio, ela “desaparecia” com o processo, registrando baixa ou o arquivamento no Sistema de Informação dos Serviços (Siscom). Foram expedidos, pelo menos, 134 alvarás judiciais em seu nome, em 31 ações.

Segundo a sentença que foi divulgada nesta quarta-feira (23), mas proferida no dia 17 de julho, a servidora teria se aproveitado do cargo entre os anos de 2000 e 2009. Ela foi condenada pelos crimes de peculato, peculato furto, inserção de dados falsos no Siscom da comarca com o fim de obter vantagem indevida para si, extravio de processos judiciais e sonegação de processos.

Com base em perícias médicas, a Justiça descartou a possibilidade da escrivã ser considerada inimputável ou semi-imputável de cometer os crimes.

Outra condenação

Em maio deste ano, a Justiça já havia condenado a servidora pública por atos dolosos de improbidade administrativa. Ela foi condenada a ressarcir integralmente o dano ao erário, a perda do cargo público ou cassação de aposentadoria, suspensão dos direitos políticos, por 13 anos e quatro meses, pagamento de multa civil correspondente a duas vezes o valor do acréscimo patrimonial, proibição de contratar com o Poder Público e de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, pelo prazo de 16 anos e oito meses.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).