Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – População ribeirinha e autoridades regionais unidos para cobrar obras emergenciais e estruturantes para “salvar” o Rio São Francisco

Norte de Minas – População ribeirinha e autoridades regionais unidos para cobrar obras emergenciais e estruturantes para “salvar” o Rio São Francisco

Em um manifesto público realizado na segunda-feira, 21/07, na orla do Rio, no município de São Francisco, população ribeirinha e lideranças regionais se reuniram para cobrar obras emergenciais e estruturantes para “salvar” o Rio São Francisco. “A situação se tornou dramática com a paralisação, há 12 dias, por parte da marinha, da balsa que liga São Francisco a outros municípios, como: São Romão, Pintopólis, Urucuia e Chapada Gaúcha, deixando estes municípios praticamente ilhados e desabastecidos”, explicou o prefeito de São Francisco Luiz Rocha Neto, vice-presidente da Associação de Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), e também diretor da Associação de Municípios da Bacia do Médio São Francisco (Ammesf). Rocha Neto em parceria com as entidades municipalistas convidaram os prefeitos e deputados com ligação regional para o ato público, e posteriormente, uma reunião de encaminhamento para que providências sejam tomadas em caráter emergencial para desassoreamento e limpeza dos canais de desobstrução e retorno imediato das balsas. O objetivo também é pressionar pela liberação dos recursos já licitados pela Codevasf, no valor R$ 1,5 milhões, da tão sonhada ponte ligando estes municípios ao Distrito Federal, encurtando em cerca de 200 quilômetros a distância entre o Norte/Noroeste de Minas à Brasília. 

Norte de Minas - População ribeirinha e autoridades regionais unidos para cobrar obras emergenciais e estruturantes para “salvar” o Rio São Francisco
Norte de Minas – População ribeirinha e autoridades regionais unidos para cobrar obras emergenciais e estruturantes para “salvar” o Rio São Francisco

Estiveram presentes: Luís Rocha Neto, prefeito de São Francisco; Raimundinho, Icaraí de Minas; Anchieta, Urucuia, Arquimel, Pintopólis e Vicente de Chapada Gaúcha. O deputado federal Saraiva Felipe, os deputados estaduais: Paulo Guedes, Tadeuzinho e Luiz Henrique. E ainda a primeira dama de Montes Claros, Raquel Muniz, os representantes da Amams, secretário executivo Luiz Lôbo e da Ammesf, o gerente de Negócios, José Benedito, o procurador de justiça do meio ambiente, Jarbas Soares e ambientalista presidente do Codema de São Francisco, João Naves. 

Ficou acertado entre os presentes participar de uma reunião na próxima quinta-feira, 24/07, em Brasília, com o Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para tratar da liberação de recursos. Posteriormente, o mesmo pleito será entregue também ao governador de Minas, Alberto Pinto Coelho.

A representante da maior cidade do Norte de Minas, a primeira dama de Montes Claros, Raquel Muniz, afirmou ser uma apaixonada pela cultura barranqueira e que o momento é de união em favor do São Francisco e do Norte de Minas.

Por Núbia Primo

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).