Inicio » Colunistas » Coluna – Bater à porta do coração

Coluna – Bater à porta do coração

É indispensável orar e vigiar, mormente nas ocasiões de crise, qualquer que seja o local ou o instante. A dor não aguarda oportunidade para bater à porta do coração. E a prece não é somente útil nos transes dramáticos da vida, mas essencial na hora de buscar as soluções para os desafios de ordem filosófica, política, econômica, científica, religiosa, artística, esportiva etc.

Esse é um pequeno trecho de artigo que escrevi na década de 1980, com o título “Vencer o sofrimento do corpo e da Alma”. Recentemente, a professora Adriane Schirmer citou essa minha palavra no programa “Aprendendo Português”, na Rádio Brasília, 1.210 kHz, que integra a Super Rede Boa Vontade de Comunicação. Ela quis exemplificar o verbo “bater” em seus diferentes empregos na nossa gramática. No caso aqui, “bater à porta do coração” [com crase], no sentido de anunciar alguma coisa.

Há imensos dramas que nem sempre se anunciam e por vezes invadem numerosos lares pelo mundo, também provindos de conflitos bélicos. Igualmente se assiste ao “baterem a porta” [sem crase] aos apelos de fraternidade, de entendimento, de misericórdia, de Paz. O planeta ainda é assim. Contudo, Deus é maior! Não existe tempestade que não seja procedida por bonança. Continuaremos orando e trabalhando na conquista de tempos melhores para os povos da Terra.

Disse Jesus: “Vigiai e orai para não cairdes em tentação” (Evangelho, segundo Marcos, 14:38).

HOMENAGENS

Aqui, uma singela homenagem a quatro figuras ilustres do Brasil que faleceram este mês.

No dia 18, aos 73 anos, o premiado escritor baiano João Ubaldo Ribeiro; dia 19, o reconhecido educador mineiro Rubem Alves, com 80 anos; dia 23, o respeitado dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna, aos 87; e no dia 25, aos 79, o renomado astrônomo e físico carioca Ronaldo Rogério de Freitas Mourão. O currículo de todos mostra brilhante atuação no cenário brasileiro e mundial.

No meu acervo e no da LBV, guardamos com esmero obras desses caros Irmãos em Humanidade. Dentre elas, “Viva o povo brasileiro”, com essa dedicatória: “Para José de Paiva Netto, com um abraço, muito cordial, de João Ubaldo”; “Perguntaram-me se acredito em Deus”, que recebi autografado: “Para o Paiva Netto (…), com um abraço do amigo, Rubem Alves”; “A história do amor de Fernando e Isaura”, com essas fraternas palavras: “Para José de Paiva Netto, a quem, por Leila, mando este livro com as saudações de Ariano Suassuna”; e “Astronomia & Budismo”, de Rogério Mourão, que foi um dos conselheiros do Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência, da LBV.

Conscientes de que os mortos não morrem, sabemos que, onde estiverem, no Plano Espiritual, esses nossos amigos receberão as vibrações de Paz dos Legionários da Boa Vontade. Aos seus entes queridos, a solidariedade de todos nós.

José de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor. 

José de Paiva Netto
José de Paiva Netto
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).