Inicio » Minas Gerais » Centro Oeste de Minas » MG – Morre mineiro de 36 anos que contraiu malária na África

MG – Morre mineiro de 36 anos que contraiu malária na África

Um morador de Itaúna, região Centro-Oeste de Minas, morreu nesta sexta-feira (1º) em decorrência de malária. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde do município, a vítima, de 36 anos, contraiu a doença durante uma viagem à África. Essa foi a primeira morte de malária registrada na cidade. Em Minas a doença está controlada.
 
MG - Morre mineiro de 36 anos que contraiu malária na África
MG – Morre mineiro de 36 anos que contraiu malária na África

Após retornar de viagem, o homem, que não teve seu nome divulgado, ficou isolado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Manoel Gonçalves, para evitar a contaminação pelo mosquito transmissor Anofilino. A malária tem cura quando tratada rapidamente. No entanto, conforme a secretaria, a situação do itanuense foi agravada porque ele contraiu dois, dos três tipos de malária existente.

 
“O paciente deu entrada no Pronto-Socorro e a Vigilância Epidemiológica foi acionada. Imediatamente fomos ao local, colhemos material e enviamos para a Regional de Saúde em Divinópolis onde foi diagnosticado que ele teve dois tipos de malária. Por isso se tornou um caso grave que teve uma evolução muito rápida. Ele entrou em quadro de torpor e falência dos órgãos muito rapidamente, entrou em coma já no CTI, evoluindo para o óbito”, declarou a enfermeira Vigilância Epidemiológica, Lucimeire Silva Feliciano, que acompanhou o caso.
 
Sem risco
 
A Secretária de Saúde, Ângela Amaral, explica que não há risco de contaminação em Itaúna, mas ressaltou que é preciso atenção das pessoas que forem viajar para locais de doenças endêmicas. “Não tem risco nenhum de epidemia ou transmissão na cidade. Foi um caso isolado que veio de fora, mas a gente deve alertar as pessoas que forem viajar para regiões mais distantes que pensem nestas áreas endêmicas, pensem nas doenças de endemia daquela região para se prevenirem com antecedência. Procurem saber quais doenças estão presentes nestas regiões, se existe vacina, se previnam com antecedência e quando voltarem se por acaso sentirem mal que procurem atendimento médico imediatamente e relatem aos médicos que esteve em região de endemia”.
 
Chikungunya
 
Recentemente um itaunense foi diagnosticado com suspeita de contaminação pelo mosquito Chikungunya após viagem a Àfrica, mas a contaminação foi descartada e a pessoa não teve nenhuma complicação. Por prevenção, foi feito trabalho de cerco ao mosquito e descontaminação preventiva em Itaúna.
 
Malária
 
A Malária é uma doença grave transmitida pela picada do mosquito anofelino infectado. Quando o mosquito pica o homem, injeta parasitas que se multiplicam no sangue. A doença se manifesta através de alguns sintomas que podem ocorrer isoladamente ou em conjunto, tais como dor de cabeça e no corpo, calafrios, febre alta, suor intenso, fraqueza, náuseas e vômitos.
 
Como os sintomas são parecidos com outras doenças é muito importante que a pessoa informe ao médico se esteve em região endêmica de malária, no Brasil são os estados da região Norte, Acre, Amazonas, Roraima, Amapá, Pará, Rondônia, Mato Grosso, Tocantins e Maranhão.
 
Não existe vacina contra a malária. 
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).