Inicio » Norte de Minas » Norte de minas – Homem força a mulher a engolir urina e fezes em Janaúba

Norte de minas – Homem força a mulher a engolir urina e fezes em Janaúba

A Polícia Civil (PC) de Janaúba, no Norte de Minas Gerais, pediu a prisão temporária de um homem detido pela Polícia Militar (PM) e que teria confessado que estuprou e torturou uma mulher de 57 anos no último dia 26 de julho.

Além de ser estuprada, a vítima foi obrigada a engolir urina e fezes do suspeito.

Norte de minas - Homem força a mulher a engolir urina e fezes em Janaúba
Norte de minas – Homem força a mulher a engolir urina e fezes em Janaúba

Segundo as informações repassadas pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher do município, desde o dia do crime vários suspeitos foram apontados, mas nenhum reconhecido pela vítima como  o autor. Nesta quinta-feira (31), um homem foi abordado pela PM e confessou que teria praticado o crime.

Entretanto, segundo a delegada Márcia Miguel Meira, responsável pela investigação, o suspeito aparentava não estar em perfeitas faculdades mentais, uma vez que seu depoimento não seguia uma linha coesa e, por isso, não terá o seu nome e idade divulgados. Questionado sobre detalhes do crime, o rapaz falou apenas sobre coisas que já haviam sido divulgadas pela imprensa e, por isso, a policial prefere não afirmar que ele seja o autor.

Ainda de acordo com a corporação, a família do rapaz foi ouvida e negou que ele estivesse fora de casa no horário em que o crime foi cometido. Além disso, o jovem que confessou o crime disse ter contado com a participação de um colega, que também foi ouvido e negou qualquer envolvimento no estupro.

Como ele confessou o crime, a delegada representou na Justiça pela prisão temporária do suspeito. A PC ainda informou que a vítima estava lúcida no momento que viu o suspeito e também não o reconheceu como autor, além de ter certeza que apenas um homem cometeu o delito. A investigação do caso ainda segue acontecendo.

Relembre o caso

No último dia 26 a mulher foi encontrada nua, com lesões pelo corpo, chorando muito e fazendo vômito de sangue e de uma substância semelhante a fezes. Ela foi socorrida ao Hospital Municipal de Janaúba e, depois de receber atendimento, contou os detalhes aos militares.

Ela afirma que por volta das 18h fazia uma caminhada ouvindo uma missa com os fones de ouvido em seu celular. De repente, ela foi imobilizada por um homem com uma gravata. Ele era moreno, estatura mediana, magro, sem barba, cabelos baixos tipo corte militar, usava um terço com crucifixo e apenas bermuda, sem camisa.

Ele arrastou a vítima para um matagal próximo ao rio Gorutuba e a agrediu com socos e chutes no estômago. Segundo relatos da vítima, o tempo todo ele dizia que conhecia a sua família e que iria matá-la caso ela chamasse a polícia. Em seguida, ela teve as roupas rasgadas pelo autor, que a estuprou. Simulando estar armado, o autor mandou que a vítima fizesse sexo oral e engolisse o esperma. A vítima também teve que engolir a urina do autor. Ela ficou inconsciente depois que o suspeito a penetrou no ânus, de forma violenta. Não satisfeito, o suspeito defecou no chão e obrigou a vítima a comer suas fezes. Sob ameaça, ela obedeceu.

O autor então disse que teria que matá-la e a arrastou até as margens do rio. Neste momento, na tentativa de escapar, a mulher teria mordido o braço do suspeito, que a agrediu com um soco na cabeça. A vítima desmaiou e só acordou no hospital.

Do O Tempo

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Saiba como usar o cartão de crédito ZenCard

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 8 de dezembro de 2016.Saiba como usar …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).