Inicio » Mais Seções » Ciência » Perder a virgindade nos dias de hoje é melhor que há 25 anos

Perder a virgindade nos dias de hoje é melhor que há 25 anos

Perder a virgindade hoje é uma experiência muito melhor do que há 25 ou 30 anos, segundo estudiosos da Universidade Estadual de Illinois, nos Estados Unidos. Após uma pesquisa, eles concluíram que, para os homens, o nível de ansiedade em relação ao desempenho na primeira vez é bem menor atualmente, e, para as mulheres, o prazer aumentou.

Cultura. Prazer nas mulheres aumentou à medida que diminuiu o sentimento de culpa
Cultura. Prazer nas mulheres aumentou à medida que diminuiu o sentimento de culpa

Os pesquisadores entrevistaram 5.769 estudantes ao longo de 23 anos e tentaram traçar um painel mais detalhado de suas emoções em relação a essa primeira experiência. Os questionários foram respondidos entre 1990 e 2012 e envolveram aqueles cuja primeira relação sexual havia ocorrido uma década antes, ou seja, nos anos 1980. As respostas revelaram que essa primeira experiência melhorou tanto para os homens quanto para as mulheres.

Há três décadas, os homens se sentiam mais ansiosos sobre a primeira vez, porque estavam muito preocupados com seu desempenho. Ainda assim, eles sentiam mais prazer durante esse primeiro encontro do que as mulheres. No caso delas, a culpa era o principal sentimento.

Novos tempos. Com o passar dos anos, os estudiosos concluíram que a ansiedade masculina diminuiu, bem como o sentimento de culpa entre as mulheres, dados que contribuíram para melhorar a primeira experiência sexual.

Segundo informações do jornal “Daily Mail”, a pesquisadora-chefe Susan Sprecher acredita que isso acontece porque a perda da virgindade não é vista como uma coisa tão importante quanto era há 20, 30 anos. “Os homens atualmente se sentem menos inclinados a encarar a primeira relação sexual como um rito de passagem”, afirma.

Para a estudiosa, a intimidade parece ter aumentado gradualmente com o passar dos anos, “o que talvez explique por que o prazer nas mulheres aumentou nos últimos anos, à medida que diminuiu o sentimento de culpa”.

Segundo Susan, as razões que levariam a essas mudanças positivas são culturais. “A culpa que as mulheres sentiam diminuiu também porque há uma redução de regras sociais sobre a sexualidade feminina e por conta do aumento de novos modelos para a sexualidade que podem ser vistos na mídia feminina”, explica.

Ainda assim, na opinião da pesquisadora, a perda da virgindade continua a ser uma experiência mais positiva para homens do que para mulheres.

Flash

Brasil. O Brasil está entre os países onde se perde a virgindade mais cedo, com média de 17 anos.

Depois dos 20 pode ser melhor

As pessoas que perdem a virgindade quando não são mais adolescentes tendem a ter relações muito mais satisfatórias na vida adulta, segundo estudos anteriores ao da Universidade Estadual de Illinois.

Pesquisadores da Universidade do Texas-Austin, também nos EUA, analisaram os relatos de homens e mulheres que só tiveram sua primeira relação perto dos 20 anos ou depois ainda dessa idade.

Os pesquisadores concluíram que essas pessoas haviam estabelecido relações muito mais felizes, além de se casar e ter menos parceiros sexuais na vida adulta.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

VLI abre vagas para programa Jovem Aprendiz em Montes Claros

VLI abre vagas para programa Jovem Aprendiz em Montes Claros

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 8 de dezembro de 2016.VLI abre vagas …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).