Inicio » Política » Eleições 2014 » Eleições 2014 – Acidez e bom-humor em vídeo do Greenpeace para criticar candidatos à Presidência da República

Eleições 2014 – Acidez e bom-humor em vídeo do Greenpeace para criticar candidatos à Presidência da República

Inocentes, mas nem tanto. Assim podem ser classificados os vídeos produzidos e divulgados pelo Greenpeace com paródias ácidas e bem-humoradas sobre os candidatos à Presidência da República. Ao apresentar os postulantes em forma de fantoches, a ONG ligada ao meio ambiente joga luz sobre a falta de preocupação dos políticos com a questão ambiental.

Na ordem: Dilma Rousseff, Eduardo Campos, Marina Silva, apresentador, Aécio Neves e Lula. Foto: reprodução do vídeo do Greenpeace.
Na ordem: Dilma Rousseff, Eduardo Campos, Marina Silva, apresentador, Aécio Neves e Lula. Foto: reprodução do vídeo do Greenpeace.

Na sátira, os candidatos foram batizados como “Dilma Ruchefa”, “Aécio das Neves” e “Eduardo dos Campos”. Marina Silva e Lula se transformaram em “Marina da Selva” e “Lola”. O palanque da apresentação é o “Camarim dos Candidatos”.

Segundo o Greenpeace, a proposta é quebrar com humor politicamente incorreto o marasmo e a mesmice dos discursos eleitoreiros dos candidatos em seus programas televisivos.

Não há escapatória, no vídeo todos os candidatos são alvos de deboche. O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) e Marina Silva (PSB) são tratados como “casal de conveniência”. Eduardo é tratado como “o zolhudo” e Marina “a crente”.

O fato de Marina ser a vice de Campos também entra no alvo da sátira. O texto da produção destaca ela estar em “segundo plano” no cenário da chapa, embora tenha tido 20 milhões de votos nas eleições em 2010.

O boneco do senador Aécio Neves (PSDB) é retratado com o esteriótipo do bon vivant.Com um copo de bebida na mão, ele defende que o Brasil será o país do carnaval e do canavial. “De dia eu vou pra um barzim, de noite vou pra balada. De dia abraço a família, de noite as namorada”, diz a paródia feita para o tucano.

A presidente Dilma Rousseff (PT) ganhou um rap que questiona o fato de ela não querer abandonar a cadeira do Palácio do Planalto. “Já fui muito torturada. Já levei muita porrada. Fui até a luta armada. Agora quero ser amada. Vote em mim. Vote em mim”, diz o trecho da música.

Ao todo, serão 16 programas, produzidos pelos artistas do coletivo BijaRi e publicados no site Plataforma verde, do Greenpeace.

Assista ao primeiro vídeo, com a apresentação ácida e bem-humorada dos candidatos. 

PROJETO – O criador dos bonecos é Fernando Gomes, famoso pelos personagens do desenho infantil Cocoricó, da TV Cultura. No entanto, os temas tratados nada têm de infantil.

No site do Greepeace, Marcio Astrini, um dos coordenadores da ONG, explica que a crítica é “corrosiva” e parte da proposta de revisitar os discursos vazios propalados pelos candidatos. “Não dá mais para os candidatos, ano após ano, revisitarem discursos vazios que ignoram os grandes desafios socioambientais que o país tem diante de si”, explica.

“Esperamos que o bom humor seja uma ferramenta eficaz para mobilizar o eleitor a se envolver com o debate eleitoral, conhecer nossas campanhas e pressionar seus candidatos a sair do blá blá blá”, completa Astrini.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).