Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Dono da Cachaça Seleta é alvo de mais uma denúncia de abuso sexual

Norte de Minas – Dono da Cachaça Seleta é alvo de mais uma denúncia de abuso sexual

Pelo menos mais uma denúncia de abusosexual contra Antônio Eustáquio Rodrigues, 64 – dono das marcas de cachaça Seleta, Saliboa e Boazinha –, deve ser investigada pela Polícia Civil (PC) de Salinas, no Norte de Minas Gerais.

A informação é do delegado José Eduardo Gonçalves dos Santos, responsável pelo caso, que atendeu a imprensa em entrevista coletiva nesta quinta-feira (14), na cidade. Conhecido como “Rei da Cachaça”, o homem é suspeito de cometer crime sexual contra dois adolescentes – uma garota de 15 anos e um garoto com 14 anos, e de tentativa de homicídio contra um homem, de 18 anos.

Antônio Eustáquio Rodrigues
Antônio Eustáquio Rodrigues

De acordo com o delegado, depois da prisão do empresário, na última terça-feira,mais um adolescente procurou a corporação para prestar queixa de abusos cometidos pelo suspeito.

O delegado não mencionou em que situação e quantas vezes o crime teria ocorrido. “O processo corre em sigilo, já que o empresário é personalidade na cidade e se tratam de suspeitas”, ressaltou Santos.

Promotora do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) que acompanha o caso, Maria Constância Martins da Costa afirmou que a nova queixa foi feita por um garoto de 13 anos.

Operação papai noel

O empresário está preso preventivamente na cadeia de Pedra Azul, na mesma região. Segundo a PC, a prisão de Rodrigues foi feita após cinco meses de investigação conjunta com MPMG, pela operação Papai Noel – em referência à barba do suspeito.

O “Rei da Cachaça” deve ficar na cadeia por pelo menos mais sete dias, segundo o delegado. Depois de finalizar as investigações, o caso será entregue ao MPMG, que vai decidir se aceita ou não as denúncias.

A assessoria de imprensa da Seleta e Boazinha Indústria Ltda informou que a família de Rodrigues prefere não se pronunciar sobre o caso. Se condenado, o idoso pode pegar de seis a dez anos pelo crime de estupro e de seis a 20 anos pelo homicídio tentado.

A promotora afirmou que há depoimentos contundentes contra o suspeito, que já responde por crimes ambientais.

Saiba mais

Silêncio. O advogado do suspeito não atendeu as ligações da reportagem nesta quinta-feira (14). 

Doença. Considerado o maior produtor de cachaça artesanal do país, Antônio Eustáquio Rodrigues está afastado da direção da Seleta e Boazinha Indústria Ltda desde 2006 por motivo de doença, segundo a assessoria de imprensa da empresa. A instituição informou não ter autorização para divulgar de quê o sócio-fundador da empresa sofre. 

“Rei da Cachaça”. A fábrica, que fica em Salinas, produz 1,5 milhão de litros da bebida por ano. A Seleta, que carrega o título de maior exportadora da bebida, fornece cachaça para China, Estados Unidos, Alemanha, Itália, Uruguai, Portugal, Nova Zelândia e França.

As informações são do Portal O Tempo

 
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).