Inicio » Educação » Educação – Projeto de novas mudanças ortográficas é discutido no Congresso

Educação – Projeto de novas mudanças ortográficas é discutido no Congresso

Nem vigorou a obrigatoriedade do último acordo ortográfico da Língua Portuguesa, previsto para 2016, e parlamentares brasileiros discutem propostas de outras mudanças nas regras ortográficas para serem incluídas no idioma nacional. A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado possui um grupo técnico voltado para o “aperfeiçoamento” e a “simplificação” da ortografia que trabalha fomentando um debate sobre o novo acordo. Dentre os novos projetos, está a extinção da letra “h” e do “ch”.

Educação - Projeto de novas mudanças ortográficas é discutido no Congresso
Educação – Projeto de novas mudanças ortográficas é discutido no Congresso

De acordo com o portal do projeto, Simplificando o Português, o objetivo é substituir a “memorização, vulgarmente conhecida como “decoreba”, pelo raciocínio e entendimento. Eliminação de contradições e duplas grafias. Redução máxima do uso de hífen ou sua eliminação”. Por isso, o “h” sem som ou a grafia tanto de “x” quanto de “ch” para definir o mesmo som, entre outras questões, seriam corrigidas.

Na equipe envolvida no debate estão nomes como os dos professores Ernani Pimentel e Pasquale Cipro Neto, além de profissionais da área pelo país. “Quase ninguém sabe a ortografia em nosso País. Encontrar quem saiba usar hífen, j, g, x, ch, s, z, é algo raro. Até professores precisam recorrer a dicionários para confirmar como se escreve uma palavra ou outra, de tão complexo que é o nosso sistema”, afirma Pimentel ao portal do senador Miranda.

Videoconferência com outros países
Segundo a assessoria do senador, até maio do ano que vem, os países falantes do português como Angola, Portugal, Moçambique e Cabo Verde serão incluídos no debate para apresentar suas propostas por meio de videoconferências. A partir dessa discussão, será iniada a elaboração de um documento único que será votado nos parlamentos de cada um dos países participantes do acordo. A expectativa é que esse documento seja finalizado ainda no primeiro semestre do próximo ano, para ser votado e vigorar a partir de 2016.

Nada certo
O debate ainda não é sequer um projeto de lei. Nos grupos técnicos, o objetivo é que profissionais apresentem suas sugestões para serem debatidas e incluídas, ou não, no projeto de lei que será votado em 2015.

Veja como são e como ficariam algumas palavras caso as regras sejam aprovadas:

Como é – Como ficaria

Homem – Omem
Hotel – Otel
Hoje – Oje
Humor – Umor
Harpia – Arpia
Harpa – Arpa
Guerra – Gerra
Guitarra – Gitarra
Chá – Xá
Flecha – Flexa
Macho – Maxo
Analisar – Analizar
Blusa – Bluza
Exemplo – Ezemplo
Exuberante – Ezuberante
Êxito – Êzito
Exigente – Ezigente
Exame – Ezame
Executar – Ezecutar
Existir – Ezistir
Amassar – Amasar
Açúcar – Asúcar
Moço – Moso
Pescoço – Pescoso
Auxílio – Ausílio
Asa – Aza
Brasília – Brazília
Base – Baze
Paralisar – Paralizar
Avisar – Avizar
Música – Múzica
Meses – Mezes
Deuses – Deuzes
Pegajoso – Pegajozo 

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Um a cada cinco jovens mineiros é "nem-nem", que nem trabalha nem estuda

MG – Um a cada cinco jovens mineiros é “nem-nem”, que nem trabalha nem estuda

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. MG – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).