Inicio » Política » Eleições 2014 » Eleições 2014 – PSB oficializa candidatura de Marina Silva para Presidência

Eleições 2014 – PSB oficializa candidatura de Marina Silva para Presidência

O PSB oficializou nesta quarta-feira o nome da ex-senadora Marina Silva como candidata a presidente da República. O anúncio ocorre uma semana após o acidente aéreo que matou o então candidato Eduardo Campos.

Com a tragédia, a então candidata a vice assumiu a cabeça de chapa e o PSB indicou o líder da legenda na Câmara, Beto Albuquerque (RS), para vice. O nome do parlamentar foi anunciado ontem e ganhou força pela proximidade com Eduardo Campos e Marina Silva, além de ter se empenhado pela candidatura própria do partido e ter a simpatia do setor do agronegócio, onde Marina enfrenta resistência.

Eleições 2014 - PSB oficializa candidatura de Marina Silva para Presidência
Eleições 2014 – PSB oficializa candidatura de Marina Silva para Presidência

Outro fator que pesou na escolha de Beto Albuquerque é o fato de ele ser um nome de forte identificação com o partido. Dirigentes da legenda reconhecem que com a morte de Eduardo Campos, a cabeça de chapa fica com a Rede Sustentabilidade, partido que Marina ainda não conseguiu viabilizar. A ex-senadora se filiou temporariamente ao PSB, a convite de Campos, enquanto não consegue registrar sua própria legenda.

“Chego ao PSB com sentido de responsabilidade, com compromisso assumido nesses dez meses de intenso trabalho e de esforço político para mudar o Brasil ao lado de Eduardo Campos. E com a disposição de honrar esse compromisso, de levar adiante juntamente todos aqueles que estavam construindo esse projeto ao lado de Eduardo Campos”, afirmou a nova candidata à Presidência.

Mudanças na coordenação de campanha
Com a entrada de Marina na cabeça da chapa, o porta-voz da Rede Sustentabilidade, Walter Feldman, substituirá Bazileu Margarido, da Executiva Nacional do projeto partidário de Marina, que vai para o comitê financeiro. Carlos Siqueira, primeiro-secretário do PSB, participará da coordenação junto de Feldman.

Senadora e ministra
Maria Osmarina Maria Silva Vaz de Lima, 56 anos, foi eleita pela primeira vez ao Senado pelo Estado do Acre em 1994, quando era filiada ao PT. A parlamentar foi reeleita em 2002, mas pediu licença do cargo para assumir o Ministério do Meio Ambiente no governo Luiz Inácio Lula da Silva até 2008, quando pediu demissão do cargo.

Nascida em uma região conhecida como Breu Velho, no Seringal Bagaço, Marina começou a trabalhar aos 16 anos como empregada doméstica. Fez supletivo e concluiu a faculdade de História aos 26 anos, quando se filiou ao PT. Marina deixou o partido e foi para o PV em 2009, legenda pela qual concorreu à Presidência em 2010, chegando em terceiro lugar com 19,6 milhões de voto, 19,3% do eleitorado.

A candidata deixou o PV em 2011 para formar seu novo partido, a Rede Sustentabilidade, mas o registro da legenda foi negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por não ter alcançado o número mínimo de assinaturas de eleitores. O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos convidou Marina para entrar no PSB, oferecendo abrigo para a legenda e oficializou a ambientalista como vice, para dar fôlego a uma terceira via eleitoral.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Montes Claros – Confira os destaques policiais das últimas 24h

Montes Claros – Confira os destaques policiais das últimas 24h

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 7 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).