Inicio » Minas Gerais » Centro Oeste de Minas » MG – Padre confessa assédio a menino de 14 anos

MG – Padre confessa assédio a menino de 14 anos

Um padre confessou ser pedófilo em Formiga, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, nessa quarta-feira (20). A mãe de um adolescente de 14 anos descobriu mensagens do suspeito no celular do filho e chamou a polícia. O caso está sendo investigado.

MG - Padre confessa assédio a menino de 14 anos
MG – Padre confessa assédio a menino de 14 anos

Segundo informações da Polícia Civil, o padre, que não teve o nome divulgado, assediava o garoto com mensagens no celular e na internet pedindo fotos sem roupa e insinuando sexo oral. Quando a situação se tornou insustentável, a mãe e o adolescente fizeram uma denúncia.

A polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa do padre, mas nada foi encontrado. No entanto, ele confessou que era o autor das mensagens. Por causa da falta de materialidade durante o cumprimento do mandado, ou seja, já que nada foi encontrado para provar o crime, o suspeito não foi preso.

Mas como medida preventiva, ele não deve se aproximar do garoto e foi afastado do ofício. O caso continua sendo investigado. 

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).