Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Pedido de prisão domiciliar para o “Rei da Cachaça” é negado

Norte de Minas – Pedido de prisão domiciliar para o “Rei da Cachaça” é negado

O pedido de prisão domiciliar para o empresário Antônio Eustáquio Rodrigues, de 64 anos, conhecido como o “rei da cachaça”, foi negado. Rodrigues continua preso de forma preventiva enquanto aguarda o processo, já que é acusado de pedofilia e tentativa de assassinato.

Antônio Eustáquio Rodrigues
Antônio Eustáquio Rodrigues

Na última quarta-feira (20), o empresário foi transferido do presídio de Pedra Azul, no Vale do Jequitinhonha, para o presídio de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. Rodrigues é dono das marcas de cachaça Seleta, Saliboa e Boazinha, e foi preso no dia 12 de agosto, em Salinas, no Norte de Minas, suspeito de abusar de um menino de 14 anos e de uma menina de 15, e de tentar matar um homem de 18.

Antônio Eustáquio Rodrigues
Antônio Eustáquio Rodrigues

Além disso, após a prisão dele, um adolescente de 13 anos procurou a delegacia de Salinas, no Norte de Minas, para fazer uma nova denúncia de abuso sexual contra ele. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) o pedido para que Rodrigues aguarde o processo em prisão domiciliar apresentado pela defesa foi negado. A assessoria do empresário informou que a defesa deve entrar com um novo pedido, alegando que a prisão do empresário ocorreu com base em denúncias e que não há nada que prove que ele seja autor dos crimes.  

As informações são do Portal O Tempo

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Saiba como usar o cartão de crédito ZenCard

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 8 de dezembro de 2016.Saiba como usar …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).