Inicio » Esporte » Brasileirão 2016 » Brasileirão 2014 – Cruzeiro volta a questionar atuações da arbitragem junto à CBF

Brasileirão 2014 – Cruzeiro volta a questionar atuações da arbitragem junto à CBF


Reviewed by:
Rating:
5
On 26 de agosto de 2014
Last modified:17 de dezembro de 2014

Summary:

Brasileirão 2014 - Cruzeiro volta a questionar atuações da arbitragem junto à CBF

Brasileirão 2014 - Cruzeiro volta a questionar atuações da arbitragem junto à CBF
Brasileirão 2014 – Cruzeiro volta a questionar atuações da arbitragem junto à CBF

Os recentes equívocos da arbitragem nas partidas do Cruzeiro pelo Campeonato Brasileiro acarretam na indignação da diretoria. O clube enviará à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) uma nota para questionar as falhas nos compromissos do torneio gerenciado pela principal entidade nacional.

O pênalti cometido por Dedé em Esquerdinha no triunfo sobre o Goiás, nesse domingo, no Serra Dourada, motivou a revolta da cúpula da Raposa. Na ocasião, o meio-campista David desperdiçou a cobrança.

O alvo da reclamação cruzeirense é o árbitro Francisco Carlos Nascimento. Antes dele, o clube queixou-se junto à CBF das falhas da arbitragem nos duelos com Bahia, Atlético-PR, Atlético-MG, São Paulo e Criciúma.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).