Inicio » Colunistas » Coluna – Eleição para governador & Cia.

Coluna – Eleição para governador & Cia.

Em época de eleição desfilam às nossas portas rebanhos de cordeirinhos desmamados choramingando votos, só que quando estão exercendo mandatos se esquecem de suas obrigações, só pensam na reeleição ou em disputar outros pleitos, como estão operando, por exemplo, os senadores Wellington Dias (PT-PI), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Roberto Requião (PMDB-PR), Ana Amélia (PP-RS), Delcído Amaral (PT-MS), Ângela Portela (PT-RR),  Cássio Cunha (PSDB-PB), Eduardo Braga (PMDB-AM), Eunício Oliveira (PMDB-CE), Lídice da Mata (PSB-BA), Lindbergh Farias (PT-RJ) ,Marcelo Crivella (PRB-RJ), Paulo Bauer (PSDB-SC), Pedro Taques (PDT-MT), Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Vital do Rêgo (PMDB-PB), ambos com vigência senatorial até 2019.

Preliminarmente, cabe observar que o desvio de função legislativa para assumir cargos nos governos ou para disputar novos pleitos, em plena vigência de mandato, é uma das marcas registradas do político brasileiro oportunista, sem moral e ética pública, pois deixa de cumprir com lealdade o mandato outorgado pelo eleitor.

Sabe-se, contudo, que os políticos solertes, imorais e descompromissados com o eleitor pouco se importam com as suas condutas indignas. Trocam de partidos e descumprem o mandato com a maior cara de pau, mas em época de eleição aparecem para bajular a sociedade. 

Infelizmente e para gáudio dos políticos e candidatos, o voto obrigatório (imoral), trocado por qualquer promessa e dinheiro, é um dos responsáveis pelo patético panorama da política nacional, repleto de parlamentares incompetentes, corruptos, gazeteiros, enganadores de eleitores e mais interessados nas benesses públicas. Certa feita o jornal Espanhol El País escreveu que ser político no Brasil é uma grande sorte, tantas são as vantagens auferidas. 

Se o eleitor nacional não fosse analfabeto político e soubesse escolher devidamente seus representantes, mequetrefes políticos, que passam cheque sem fundo ao eleitor e não exercem integralmente o mandato, não seriam eleitos e nem reeleitos. 
 
Eleitores, não reelejam ninguém e nem elejam para governadores políticos que estejam em curso de mandato até 2019. Ademais, temos que combater também os políticos de relativa seriedade com a coisa pública. Vejam, os senadores supramencionados e outros, inclusive ex-senadores, dispõem no Senado de plano de saúde gratuito, pago pelos contribuintes, para si e sua família de forma perene, uma imoralidade a que eles jamais se opuseram, e que muitos brasileiros desconhecem. Assim, não se pode abonar uma candidatura de quem não seja absolutamente sério. 


Júlio César Cardoso
Bacharel em Direito e servidor federal aposentado
Balneário Camboriú-SC

Julio Cesar Cardoso
Julio Cesar Cardoso
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Montes Claros – Confira os destaques policiais das últimas 24h

Montes Claros – Confira os destaques policiais das últimas 24h

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 7 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).