Inicio » Política » Eleições 2014 » Eleições 2014 – Ibope: Marina supera Dilma em Pernambuco, São Paulo, Distrito Federal e Paraná

Eleições 2014 – Ibope: Marina supera Dilma em Pernambuco, São Paulo, Distrito Federal e Paraná


Reviewed by:
Rating:
5
On 29 de agosto de 2014
Last modified:17 de dezembro de 2014

Summary:

Eleições 2014 - Ibope: Marina supera Dilma em Pernambuco, São Paulo, Distrito Federal e Paraná

Divulgada há dois dias, a série de pesquisas realizada pelo Ibope em sete estados do País mostra que em quatro deles a ex-senadora Marina Silva (PSB/Rede) supera a presidente Dilma Rousseff (PT) nas intenções de voto para a Presidência da República. Marina aparece como a candidata mais bem posicionada em Pernambuco, São Paulo, Distrito Federal e Paraná. Marina foi anunciada como candidata pelo PSB há dez dias, após a morte do ex-governador pernambucano Eduardo Campos, que disputaria a Presidência pelo partido.

Ibope: Marina supera Dilma em Pernambuco, São Paulo, Distrito Federal e Paraná
Ibope: Marina supera Dilma em Pernambuco, São Paulo, Distrito Federal e Paraná

Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter

Em Pernambuco, a ex-senadora aparece com 41% das intenções de voto, contra 37% de Dilma e 3% do senador mineiro Aécio Neves (PSDB). Outros candidatos também possuem 3%. Brancos e nulos aparecem com 7% e aqueles que não sabiam em quem votar somam 11%. No último levantamento do Ibope, a presidente era quem estava com 41%, enquanto Eduardo ficava com 37%.

Marina tem posição mais confortável em São Paulo, o maior colégio eleitoral do País. A ex-senadora aparece hoje com 35% da preferência do eleitorado; Dilma tem 23% e Aécio 19%. Desconhecido dos eleitores, Eduardo pontuava com apenas 6% no último levantamento.

A disparada de Marina em São Paulo já pode ter causado a primeira crise entre as campanhas do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e de Aécio. O vice de Marina, o deputado gaúcho Beto Albuquerque (PSB), foi exibido no programa de Alckmin nessa quinta-feira (28), um dia após a divulgação da pesquisa, e causou ciumeira. Aécio ainda não teve o mesmo espaço.

Desde o início, Marina foi contrária a aliança entre Eduardo e Alckmin, mas o PSB ficou com a vaga vice na chapa tucana. Mesmo assim, feita candidata, a ex-senadora já fez um gesto de aproximação ao dizer, no Recife, que poderia governar com o apoio do ex-goverandor José Serra (PSDB), que disputa o Senado na chapa de Alckmin.

Marina também era contrária a aliança com o PSDB no Paraná, outro estado em que aparece na frente nas pesquisas. A diferença lá é mínima: Marina tem 29% e Dilma 28%. Aécio vem logo em seguida com 24%.

Já no Distrito Federal, de novo a ex-senadora sai com vantagem. Lá, Marina aparece com 35% das intenções de voto, enquanto Dilma tem 20% e Aécio 18%.

MINAS, RIO E BAHIA – Nos três estados restantes, Marina só perde para Aécio em Minas Gerais, estado que foi gerido durante oito anos pelo senador. Enquanto o tucano aparece na frente com 34%, Dilma tem 31% e Marina 20%. Nos outros, Aécio fica para trás.

No Rio de Janeiro, onde Dilma tem 38%, Marina aparece com 30% e Aécio amarga 11%. Na Bahia, a petista segue na frente com 47%, mas Marina apresenta 23% e Aécio só tem 10%.

Agência Brasil

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).