Inicio » Educação » Educação – Desenvolvimento pode ‘levar idiomas à extinção’, diz estudo

Educação – Desenvolvimento pode ‘levar idiomas à extinção’, diz estudo

Um  estudo da Universidade de Cambridge concluiu que um dos efeitos colaterais do desenvolvimento econômico é o risco de extinção de alguns idiomas.

Cerca de 25% das línguas do mundo estão ameaçadas atualmente, estima o coordenador da pesquisa
Cerca de 25% das línguas do mundo estão ameaçadas atualmente, estima o coordenador da pesquisa

Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter

Analisando diversas partes do mundo, inclusive regiões desenvolvidas como a Europa, América do Norte e a Austrália, o estudo concluiu que o progresso econômico caminha de mãos dadas com a dominação das línguas faladas por minorias por uma, dominante, mais poderosa.

Cerca de 25% das línguas do mundo estão ameaçadas atualmente, estima o coordenador da pesquisa, Tatsuya Amano.

Ele diz que idiomas com poucos nativos, como o alto tanana, que é falado por menos de 25 pessoas no Alasca, nos Estados Unidos, estão na “linha de frente” da ameaça de extinção.

Na Europa, a língua sami de Ume, da Escandinávia, e o occitano auvernês, da França, também estão sumindo.

“Muitos idiomas em todo o mundo estão se perdendo rapidamente. É uma situação muito séria. Por isso, queríamos investigar como a extinção se distribui globalmente”, disse Amano, que normalmente estuda as taxas de extinção entre animais.

Os pesquisadores divulgaram suas conclusões na publicação Proceedings of the Royal Society B.

Desaparecimento de vozes
De acordo com o estudo, quanto mais sucesso econômico um país obtém, mais rapidamente a diversidade de seus idiomas nativos diminui.

“Na medida em que as economias se desenvolvem, uma língua frequentemente passa a dominar as esferas políticas e educacionais de uma nação”, diz Amano.

“As pessoas são forçadas a adotar a língua dominante ou correm o risco de serem abandonados – economicamente e politicamente.”

O estudo aponta que nos trópicos e na região do Himalaia o risco de perdas linguísticas é especialmente alto, porque nestes locais se combinam dois fatores: o alto número de idiomas falados por pequenos grupos e o rápido crescimento econômico vivenciado por estas partes do globo.

Comentando o estudo, o diretor executivo da ONG Aliança pelas Línguas Ameaçadas, Daniel Kaufman, diz que a diversidade dos idiomas no mundo é cada vez mais definida por fatores sociais, políticos e econômicos.

Kaufman disse que essa diversidade linguística, “que foi originalmente moldada pelo meio ambiente”, hoje dá lugar a um “padrão moldado por políticas e realidades econômicas”.

“O padrão moldado pelo ambiente é hoje praticamente um resíduo histórico”, desenvolveu o especialista.

“Por outro lado, não podemos superdimensionar o aspecto econômico, porque em alguns pontos de diversidade linguística há vilas inteiras que estão sendo esvaziadas por causa do êxodo.”

BBC Brasil

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).