Inicio » Economia » Governo acusa bancos de ‘cautela excessiva’ com crédito

Governo acusa bancos de ‘cautela excessiva’ com crédito

O governo está incomodado com o que considera um “excesso de conservadorismo” dos bancos nas operações de financiamento e culpa o setor financeiro por uma parcela do resultado negativo na economia. A equipe econômica avalia que os bancos enxugaram a oferta de crédito nos últimos meses, o que freou a economia.

Mesmo em um cenário de recuo da inadimplência, o crescimento anual do estoque de crédito em operações com empréstimos a juros de mercado desacelerou
Mesmo em um cenário de recuo da inadimplência, o crescimento anual do estoque de crédito em operações com empréstimos a juros de mercado desacelerou

Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter

Na avaliação dos economistas do governo, apurou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, desde o início do ciclo de alta da taxa básica de juros (Selic), em abril de 2013, os bancos têm sido mais restritivos do que indicava a política de juros do Banco Central.

Desde o início da alta da Selic, o chamado spread médio dos bancos nas operações de crédito para pessoa física cresceu 6, 3 pontos porcentuais até julho deste ano. Nesse período, a Selic teve alta de 3,75 pontos porcentuais. Spread é a diferença entre o que banco paga na captação do dinheiro e o que cobra no empréstimo.

Nesse intervalo de 15 meses, mesmo em um cenário de recuo da inadimplência, o crescimento anual do estoque de crédito em operações com empréstimos a juros de mercado desacelerou de 9,2% até abril de 2013 para 5% até julho deste ano, mostram os dados do governo. 

Nos bastidores, o governo diz que gostaria de ver uma “iniciativa maior” dos bancos. Até porque, segundo outra fonte da equipe econômica, o setor financeiro tem recebido a ajuda necessária. Um exemplo de estímulo, segundo disse a fonte, são os leilões de swap cambial que o governo tem oferecido há pouco mais de um ano. Essas operações são uma proteção (hedge, no jargão financeiro) em que o Banco Central “troca” a variação da cotação do dólar pela da taxa de juros, o que tem ajudado a repartir os riscos da instabilidade do câmbio com o setor financeiro, e também produtivo. 

A Federação Brasileira dos bancos (Febraban) informou que não vai comentar a avaliação do governo. A Associação Brasileira de Bancos (ABBC) não respondeu à reportagem. 

‘ARREDIOS’ – O estrategista da Fator Corretora, Paulo Gala, diz que é necessário considerar, nessa avaliação, que houve expansão do crédito sobre o Produto Interno Bruto (PIB) na última década. “É natural que os bancos estejam mais arredios agora. Depois de toda a expansão, eles ficam mais expostos. Agora, a economia está mais alavancada (com mais dívidas) do que há dez anos.” 

Gala avalia que as medidas de estímulo ao crédito divulgadas pelo governo nas últimas semanas “vão na direção correta”, mas não chegam a mudar essa estrutura. 

A economista-chefe da Rosenberg Associados, Thaís Zara, diz que os bancos tentarão expandir “com cautela” a carteira de crédito depois das recentes medidas do governo para estimular o mercado de crédito. “No caso de automóveis, eles tentarão conquistar o consumidor que poderia comprar o carro à vista”, diz. Ela lembra que, além do cenário de política monetária “contracionista” ainda refletindo no crédito, outro importante componente para explicar a retração dos bancos é a perspectiva com a economia. “Os bancos levam em conta uma expectativa de economia pouco aquecida e a piora do mercado de trabalho. Então, é um movimento natural ficar mais seletivo”, argumenta.

Agência Estado

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).