Inicio » Minas Gerais » Belo Horizonte » MG – Açougueiro confessa que espancou e matou filho de 6 meses

MG – Açougueiro confessa que espancou e matou filho de 6 meses


Reviewed by:
Rating:
5
On 5 de setembro de 2014
Last modified:17 de dezembro de 2014

Summary:

MG - Açougueiro confessa que espancou e matou filho de 6 meses

O açougueiro Gedeon Fernandes Santos, de 23 anos, confessou que espancou o filho, um bebê de seis meses, ao se irritar com o choro da criança. Devido à agressão, a criança não resistiu aos ferimentos e morreu. Pelo crime, o suspeito foi autuado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e sem direito de defesa da vítima. O homem está preso provisoriamente no Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) São Cristóvão.

MG - Açougueiro confessa que espancou e matou filho de 6 meses
MG – Açougueiro confessa que espancou e matou filho de 6 meses

Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter

O crime ocorreu na terça-feira (2), na casa do suspeito, no bairro Vila Cemig, região do Barreiro, em Belo Horizonte. Gedeon contou que havia chegado do futebol e estava embriagado quando foi dar banho no filho. Conforme a versão do suspeito, ele estava com uma chave turquesa nas mãos por causa de um problema no registro do banheiro.

Irritado com o choro do bebê, ele golpeou o menino. A vítima foi encaminhada ao Hospital Odilon Bherens, mas não resistiu aos ferimentos. Na unidade de saúde, ele deu três versões sobre o caso. Primeiro disse que a criança tinha rolado da cama, depois que estava com a criança no colo e tropeçou e, por fim, que a criança caiu durante o banho.

A madrasta do menino contou que o companheiro maltratava o filho. Ela não denunciava o marido por medo, já que ele ameava esquartejá-la. Além do homicídio, Gedeon já foi autuado por estupro de vulnerável, uma vez que engravidou uma adolescente de 12 anos.

Entenda o caso

Conforme a Polícia Civil, o pai levou o filho ao hospital alegando que ele havia se engasgado com leite da mamadeira. Contudo, a criança apresentava lesões semelhantes a maus-tratos. A médica que atendeu a criança constou, além de traumatismo craniano, síndrome do bebê sacudido, o que indicava as agressões.

A mãe da criança, que tinha a guarda do menino, teve um relacionamento de um mês com o suspeito. Ela tinha um acordo verbal com o suspeito e deixava o filho com o pai quando precisava. O menino foi entregue a Gedeon no último domingo (31).

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).