Inicio » Colunistas » Coluna – Diga não à reeleição política

Coluna – Diga não à reeleição política

Eleitor, no dia da eleição, para o bem da democracia e do fortalecimento do Legislativo, diga não à reeleição de qualquer político. Política não é profissão. Mandato político é exercício transitório. Tanto o Parlamento quanto os Governos precisam de constante renovação.

A reeleição política é responsável pelo cabide de emprego, pela falta de novas cabeças pensantes tão necessárias à saúde do Legislativo, pela corrupção e pela formação de dinastias familiares políticas espraiadas pelo país, um traço viciado da estrutura política brasileira que o eleitor precisa combater.

Temos que barrar o “político profissional”, que tem como objetivo defender os seus inconfessáveis interesses e de grupos que representam, bem como desfrutar as benesses públicas. É incrível que se tenha no Parlamento Federal, por exemplo, o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) exercendo a sua 11ª legislatura. Aqui, podemos responsabilizar o imoral instituto do voto obrigatório, que arrasta às urnas incautos eleitores, que elegem e reelegem qualquer um em troca de falsas promessas.
O Parlamento não pode continuar sendo ambiente de político profissional. Ninguém é insubstituível. Os grandes vultos dos segmentos sociais, educacionais, políticos, científicos etc. se foram para a eternidade e, no entanto, as instituições não pararam por essas ausências.
A renovação política é salutar para evitar o comodismo e o continuísmo de grupos que pretendem se eternizar no poder, como o PT que defende a recondução do partido à Presidência da República, sob a pretensiosa argumentação de que os programas de governos precisam ser concretizados.
Temos de combater a equivocada concepção feudal do político brasileiro, que teima em continuar exercendo mandato político como se o cargo público fosse sua propriedade privada. A sua astúcia está no gozo das benesses públicas. Neste sentido, certa feita o jornal espanhol El País escreveu que ser político no Brasil é um grande negócio, tantas são as vantagens auferidas.
O eleitor não deve reeleger políticos, principalmente aqueles que não honram os seus mandatos e vão exercer cargos nos governos, como, por exemplo, Maria do Rosário (PT-RS), que até recentemente era Secretária de Direitos Humanos e agora voltou para tentar a reeleição .

Trata-se de políticos solertes, imorais, descompromissados com o eleitor e que pouco se importam com as suas condutas indignas, mas em épocas de eleições se apresentam como cordeirinhos desmamados para pedir votos. Veja a lista de políticos federais que não merecem ser reeleitos ou votados http://Congressoemfoco.uol.com.br/noticias/dos-513-deputados-federais-399-disputam-reeleição/

Júlio César Cardoso
Bacharel em Direito e servidor federal aposentado
Balneário Camboriú-SC
Julio Cesar Cardoso
Julio Cesar Cardoso
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).