Inicio » Política » Eleições 2014 » Eleições 2014 – Sindicatos farão atos contra Marina Silva

Eleições 2014 – Sindicatos farão atos contra Marina Silva

Em reação à subida de Marina Silva nas pesquisas e ao favoritismo da candidata do PSB em um eventual segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff, entidades sindicais ligadas ao PT preparam uma série de manifestações contra pontos do programa de governo da ex-senadora. 

Eleições 2014 - Sindicatos farão atos contra Marina Silva
Eleições 2014 – Sindicatos farão atos contra Marina Silva

Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), que anunciou formalmente apoio à candidatura petista, fez um chamamento às entidades de todo o País para que se mobilizem contra a proposta de disciplinar a terceirização de mão de obra incluída no programa de Marina.

“Estamos discutindo formas de reação ao programa dela (Marina) em alguns pontos, como a terceirização. Isso atende a um chamamento da CUT nacional. Não sei se ela (Marina) vai voltar atrás. Se não voltar, vamos fazer o que fazíamos no governo Fernando Henrique Cardoso, já que a linha é a mesma”, disse Adi dos Santos Lima, presidente da CUT São Paulo e coordenador do comitê sindical em apoio ao candidato do PT ao governo paulista, Alexandre Padilha.

O programa de Marina, no capítulo sobre “Economia para o Desenvolvimento Sustentável”, defende “disciplinar a terceirização de atividades com regras que a viabilizem”. Além da CUT, várias entidades sindicais preparam manifestações contra pontos do programa de governo de Marina. O Sindicato dos Bancários de Brasília e a CUT Brasília preparam para esta terça-feira, 9, um ato na porta do Banco Central (BC) contra a promessa da candidata do PSB de dar autonomia formal ao órgão, caso seja eleita.

A Confederação Nacional dos Bancários, também ligada à CUT, trabalha na elaboração de material de divulgação sobre a autonomia formal e também contra a proposta de Marina de reduzir o papel dos bancos públicos no mercado financeiro.

“Alguns pontos do programa nos preocupam muito. Um deles é a redução da atuação dos bancos públicos e o fim do crédito direcionado. O Comando Nacional dos Bancários se reuniu na quinta-feira, 4, e decidiu fazer um material para esclarecer a sociedade e a categoria que essas propostas são um risco”, disse a presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira.

Na página 59, o programa de governo de Marina diz que em 2008, no governo Luiz Inácio Lula da Silva, “os bancos governamentais expandiram agressivamente sua atuação (…) e a ampliação do crédito continuou à custa de redução da participação do setor privado. A expansão do crédito corporativo concedido por bancos públicos teve caráter concentrador”.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, berço político de Lula, e a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação, ambos ligados à CUT, também preparam manifestações contra as propostas de Marina. Nos dois casos o objetivo é a defesa do pré-sal.

Petrobras

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reúne a maior parte dos funcionários da Petrobras, marcou um grande ato para o próximo sábado de manhã, na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro. Na convocação, a federação promete a presença de Lula, que ainda não confirmou a participação. Na sexta-feira, 5, o presidente do PT, Rui Falcão, disse que o partido apoia a manifestação dos petroleiros e insinuou que o programa do PSB pode levar à privatização da Petrobras.

O programa de Marina cita apenas uma vez o pré-sal, defende a redução da dependência da matriz energética brasileira em relação ao petróleo, mas admite que a mudança será lenta. Em entrevistas, Marina negou que vá negligenciar o pré-sal e disse que vai destinar o dinheiro do petróleo para projetos nas áreas da saúde e da educação.

Agência Estado

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).