Inicio » Colunistas » Adilson Cardoso » Coluna – Daqui a Pouco Marido

Coluna – Daqui a Pouco Marido

– Eu vos declaro marido e mulher! – Como assim seu Padre a noiva é ela, sou apenas a madrinha! – Coloca a aliança no dedo dela logo seu frouxo! – Mas seu Padre olha aqui a minha noiva! – Você vai casar é com ela! – Eu tenho namorado e vou me casar no próximo mês! – Não quero nem saber, vocês vão se casar agora! – ÊPA! Que negocio é esse aqui! Como é que o senhor empurra meu noivo assim para casar com outra pessoa na minha frente, no horário marcado para o meu casamento?

                              De uma lateral da Igreja aparece outro Padre ajeitando a batina e consertando os óculos, a multidão boquiaberta sem nada entender inicia uma balburdia. O chegante com vestes de padre arrasta aquele que iniciava a contenda e empurra para o lado. – O que é que você pensa que está fazendo hein? – Nada seu padre só estava ensaiando para minha peça de Teatro no domingo! – Desapareça da minha frente! (bradou o padre). – Da próxima vez chegue mais cedo! Ou para de tomar laxante a noite! (zombando) Os olhos do padre fuzilaram o impostor que saiu sorridente pelo grande corredor, pisando o tapete vermelho da noiva e assoviando a musica ave-maria. A noiva cobrava mil explicações do padre pelo ultraje sofrido, os olhos negros pela maquilagem carregada desejavam ter poderes de mau olhado para vingar-se naquele instante. O noivo com sorriso amarelo via o sogro coçar o bigode e reparar a madrinha estática estalar os dedos. – Então sejam todos bem vindos em nome do pai, do filho e espirito santo! Antes de prosseguir com a abertura da cerimônia a noiva pediu a palavra. – Senhor padre eu quero destituir essa madrinha! (òóóóóóóó!) A multidão de expectadores fez ecoar nos quatro cantos da Igreja. – Isso é um desrespeito! Falou a ex-madrinha! – Desrespeito é eu ser trocada no altar! – Como assim sua louca! Você vai se apegar aos desvarios de um louco! Olhe o padre aqui! – Louca posso ser, mas tola não! E você hein santinho! Não diz nada? Ia se casar com essa lambisgoia na minha frente, era? E eu seria a madrinha não é isto? – Calma amor, não tem nada disto, foi um engano o padre já esclareceu. – Esclareceu para vocês, por que para mim continua tudo confuso, será que não foram vocês dois que combinaram para trocar de padre e me fazer passar esta vergonha hein?! – Escuta aqui sua psicótica, já que eu não serei mais madrinha, me poupe das suas escrotices ou lhe dou na cara aqui mesmo! – Experimenta, experimenta que vai ver! Está pensando que tenho medo de você! Posso não passar horas pedalando em academias, mas na porrada eu me garanto! – Vai barraqueira, fique com seu noivo e sua valentia, que eu não sou da sua laia! – Vai bonitona! Hahahaha! Saia e me deixe com minha igreja enfeitada, meus convidados e meu daqui a pouco marido! Nem para minha madrinha você serve! A ex-madrinha já estava com seus passos largos e furiosos no meio da igreja, arrancando o batom com as costas da mão direita e os pregadores do cabelo com a mão esquerda, ao ouvir aquele insulto, parou e girou o levemente o corpo no seu eixo em ângulo de aproximadamente noventa graus e disse devolvendo o riso de deboche; – Com muito prazer vou deixar sua Igreja e seus convidados, mas vai ser difícil deixar em paz o seu daqui a pouco marido! Pelo menos enquanto ele estiver em regime semiaberto, respondendo por roubo. E mais uma ofensa te prendo por desacato a autoridade e você vai passar a lua de mel na cadeia! Onde dorme todos os dias o seu DAQUI A POUCO MARIDO!

Por Adilson Cardoso

Adilson Cardoso
Adilson Cardoso

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).