Inicio » Política » Eleições 2014 » Eleições 2014 – Com identificação biométrica, eleitores podem demorar mais tempo para votar

Eleições 2014 – Com identificação biométrica, eleitores podem demorar mais tempo para votar

Pelo menos 15% dos eleitores devem demorar mais tempo para escolher seus candidatos nas urnas este ano. Nas eleições que ocorrerão em dez dias, mais de 21 milhões de brasileiros usarão a biometria para se identificar. No Distrito Federal (DF), onde todos os eleitores serão identificados pelas digitais, a expectativa é que a votação seja concluída por volta das 19h, duas horas depois do horário oficial de fechamento dos portões das seções.

Risco de atrasos também motivou a proibição da entrega de justificativas de votos nas seções eleitorais do DF como ocorria em anos anteriores
Risco de atrasos também motivou a proibição da entrega de justificativas de votos nas seções eleitorais do DF como ocorria em anos anteriores

O assessor de Planejamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Marcello Soutto Mayor, explicou que algumas medidas foram tomadas para minimizar os atrasos, como um número maior de seções. “As seções não estão abarrotadas. Elas têm limite de 400 eleitores para que não haja sobrecarga, e contamos com a abstenção, que sempre tem um percentual que gira em torno de 10% a 15%”, explicou.

Segundo ele, as estratégias apenas minimizam a perda de ritmo do processo. “Claro que não será a mesma coisa. Lógico que, quando se coloca mais um procedimento, fica mais demorado. Isso é esperado por todos nós”, admitiu.

O risco de atrasos também motivou a proibição da entrega de justificativas de votos nas seções eleitorais do DF como ocorria em anos anteriores. “As seções de votação serão somente para votação”, explicou o assessor. Em 2010, pouco mais de 100 mil eleitores justificaram o voto no DF. Este ano, as justificativas serão entregues em postos criados exclusivamente para isso. “Com essa medida, a gente pretende compensar, de certa forma, um possível atraso na votação”, completou.

A experiência de 2010, quando ocorreu o último pleito majoritário para escolha de presidente, governadores, senadores e deputados, mostrou que, pelo novo sistema, cada pessoa gasta, em média, 20 segundos a mais do que os que usam a identificação manual.

Técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estimam que, com as melhorias e os testes feitos desde 2008, cada eleitor deve gastar, este ano, cerca de 1 minuto e 14 segundos para votar, cinco segundos a mais do que o registrado na última eleição majoritária. O tempo é uma média que considera tanto o sistema convencional como a identificação biométrica e é calculado do momento em que o eleitor se identifica perante o mesário e se dirige à urna até o instante em que confirma o último dos cinco votos – para presidente da República.

Considerando o total de 142 milhões de pessoas que devem votar, a soma desse tempo excedente pode interferir em alguns processos no dia do pleito. Apenas pelo sistema biométrico são 13 milhões de pessoas a mais do que em 2010. Ainda assim, o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, garante que as votações serão encerradas, normalmente, às 17h, como nos anos anteriores, respeitados os fusos horários.

“Não existe um acréscimo considerável se comparamos com o benefício que [a identificação biométrica] traz”, disse ao ressaltar a segurança garantida com a biometria, identificação feita pelas digitais de cada eleitor. “Além disso, estabelecemos um teto de eleitores por seção com o objetivo de evitar que esse pequeno acréscimo, de algo em torno de 20 segundos, venha a causar impacto na formação de filas. Diminuímos o número de eleitores em algumas seções”, explica.

Ele admite que há possibilidade de problemas na identificação das digitais de algumas pessoas, como as que trabalham em atividades que desgastam as mãos, como lavouras, ou com a manipulação de produtos químicos. “Esse tipo de cenário possibilita, no momento da identificação, o não reconhecimento do eleitor. Quando o software não consegue ler o número de minúcias na digital, o procedimento é feito na forma convencional”, destaca.

No novo sistema, são feitas oito tentativas para cada eleitor, considerando as digitais dos dedos polegares e indicadores de cada mão. Nas últimas eleições, o índice de não reconhecimento foi quase 4%. “Nossa expectativa é que índice seja mantido porque é muito aceitável”, avalia.

A porcentagem nestas eleições será calculada sobre um número maior de pessoas. Apesar de não acreditar na extensão do horário de votação, o secretário do TSE admite que a divulgação dos resultados pode sair mais tarde do que a do último pleito geral. Em 2010, a Justiça Eleitoral bateu recorde na apuração, com a conclusão por volta das 20h.

“Nosso compromisso é apresentar o resultado final no mesmo dia da eleição. Investimos muito sempre na melhoria do processo, mas nosso objetivo principal é a segurança, precisão e transparência do processo eleitoral. A velocidade é importante para a questão da segurança, mas é um requisito secundário”, afirmou Janino.

Pelo processo biométrico, no dia da votação, o eleitor terá que digitar o número de inscrição no microterminal da urna e colocar o dedo no leitor ótico. Depois que o programa faz a conferência da digital, a urna será destravada para que o eleitor vote. Se não puder ser reconhecido pelas digitais, o eleitor deverá apresentar um documento com foto e o mesário vai conferir os dados pela folha de votação.

A identificação biométrica será usada em 762 municípios, incluindo 15 capitais. Em estados como Alagoas, Amapá e Sergipe e no Distrito Federal, a revisão biométrica alcançou todo o eleitorado. Em algumas cidades, como Florianópolis (SC) e Bento Gonçalves (RS), a identificação de eleitores será mista, com a biometria e o método tradicional.

A recomendação do TSE para acelerar a votação é que o eleitor imprima o documento disponibilizado no site do órgão para anotar o número de seus candidatos e leve a “cola” para a urna. Para as eleições de 2018, a meta é que todos os eleitores sejam identificados pela biometria.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Montes Claros – Confira os destaques policiais das últimas 24h

Montes Claros – Confira os destaques policiais das últimas 24h

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 7 de dezembro de 2016.Montes Claros – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).