Inicio » Mais Seções » Ciência » Estudo contesta evolução das ferramentas de pedra na pré-História

Estudo contesta evolução das ferramentas de pedra na pré-História

A técnica de talhar armas de caça na Idade da Pedra ocorreu em diferentes regiões do planeta, segundo um estudo difundido nesta quinta-feira, o que contesta a maioria das teorias aceitas até agora, que consideram que a prática se propagou da África.

Estudo contesta evolução das ferramentas de pedra na pré-História
Estudo contesta evolução das ferramentas de pedra na pré-História

“Graças à datação precisa desta jazida arqueológica na Armênia, dispomos da primeira prova sólida de que importantes desenvolvimentos da inovação humana foram produzidos de forma independente no seio de diferentes grupos de população no mundo”, explicou o professor Simon Blockley, um dos autores da pesquisa publicada na revista científica americana Science.

Os trabalhos, realizados com Alison MacLeod, do departamento de Geografia da Royal Holloway da Universidade de Londres, foram o resultado das descobertas no sítio arqueológico de Nor Geghi, na Armênia.

“A descoberta de milhares de vestígios preservados neste sítio único lança nova luz sobre o modo como evoluíram as ferramentas na Idade da Pedra durante um período de profundas mudanças biológicas e de comportamento humano”, afirmou o professor Blockley.

Esta pesquisa questiona a origem da chamada técnica Levallois, segundo a qual eram usados fragmentos e lâminas de pedra para fabricar armas de caça.

A maioria dos especialistas considerava até agora que esta técnica tinha sido inventada no continente africano e que, em seguida, propagou-se para todo o mundo, sobretudo para a Eurásia, com as migrações humanas.

Mas os vestígios encontrados na Armênia mostram que este tipo de ferramenta já se encontrava ali entre 325.000 e 335.000 anos.

Tal descoberta permite pensar que as populações locais desenvolveram as técnicas de trabalho do sílex a partir de um método mais simples, chamado biface, que consistia em talhar uma pedra pelos dois lados para obter uma aresta afiada, capaz de cortar.

“Os grupos que viviam neste local, há 325.000 anos, eram muito mais inovadores do que se pensava, e associavam técnicas diferentes para fabricar ferramentas muito importantes para estes humanos que viviam da caça e da coleta”, explicou Blockley.

A mais primitiva técnica biface consistia em talhar pedras mais grossas para deixá-las mais afiadas e produzir ferramentas maiores, com os machados.

O Paleolítico começou com o aparecimento da primeira espécie de Homo, o “Homo habilis”, há cerca de três milhões de anos, e terminou há 12.000 anos com o fim do Pleistoceno e a expansão da civilização. Nossa espécie, o “Homo sapiens”, apareceu há 200.000 anos.

AFP

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).