Inicio » Política » Eleições 2014 » Eleições 2014 – Rede está divida em seguir Marina no apoio a Aécio

Eleições 2014 – Rede está divida em seguir Marina no apoio a Aécio

Marina Silva, que ficou em terceiro na disputa presidencial, encontra dificuldades de convencer a Rede Sustentabilidade de apoiar a candidatura do tucano Aécio Neves. Apesar da cúpula do seu projeto de partido já ter decidido que esse seria melhor caminho, dado o cenário atual, a base da Rede, em grande parte formada por pessoas mais jovens, ainda resiste em se aliar ao PSDB.

"Há toda uma 'ritualística', mas é apenas uma questão de tempo o apoio ao Aécio", disse um membro da Executiva
“Há toda uma ‘ritualística’, mas é apenas uma questão de tempo o apoio ao Aécio”, disse um membro da Executiva

Em reunião da Executiva Nacional da Rede na noite de ontem, que durou mais de quatro horas, o único consenso a que conseguiram chegar é que não há como apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). “A posição é pela não continuidade do atual governo. Nós queremos uma mudança, mas uma mudança qualificada, com conteúdo, com substância”, disse o deputado licenciado Walter Feldman, que coordenou a campanha e é porta-voz nacional da Rede.

Feldman disse também que neutralidade não é uma opção, pois o grupo entende que a alternância de poder é algo fundamental à democracia e que o PT deu golpes muito duros ao atacar Marina durante a campanha e ao evitar a criação formal da Rede Sustentabilidade, no ano passado. “Não podemos deixar em aberto também, como se querer o PT fosse uma opção. Temos que tirar uma posição”, afirmou.

Se, para quem olha de fora do grupo, rejeitar Dilma e descartar a opção de neutralidade seriam uma indicação evidente em direção ao apoio a Aécio, essa visão não foi aceita ainda na reunião da Executiva de ontem. Feldman admitiu que ainda há uma resistência forte à menção direta do nome do tucano, tanto que não foi possível colocar o nome de Aécio no documento indicativo que será levado da Executiva, composta por 24 membros, para o Diretório Nacional da Rede, de 120 membros, na reunião de hoje à noite. “A decisão não está madura para isso”, avaliou Feldman. Além da Rede, os demais partidos que compuseram a coligação de Marina no primeiro turno também tiram suas posições individuais hoje para levar a uma reunião das lideranças da coligação nesta quinta-feira, 9.

Os principais argumentos de resistência ao tucano são a consideração de que o partido não sinaliza avanços na área social e o argumento de que os tucanos, assim como os petistas, trabalharam para desconstruir a imagem de Marina durante a campanha. Além da questão central de a coligação de Marina e a própria Rede terem se fundado no conceito de terceira via, contra a polarização tradicional de PT e PSDB.

Nos bastidores, membros da Rede ligados à cúpula marineira admitem que a demora em haver uma definição mais clara se deve aos processos internos de decisão – o grupo trabalha com o conceito de consenso progressivo, em que se chega às decisões por convencimento em torno de ideias e não por votação tradicional, mas que a tendência é a Rede acabar seguindo Marina no apoio ao tucano. “Há toda uma ‘ritualística’, mas é apenas uma questão de tempo o apoio ao Aécio”, disse um membro da Executiva.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).