Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Jovem é preso pela PF em operação contra de combate à pedofilia

Montes Claros – Jovem é preso pela PF em operação contra de combate à pedofilia

Um homem foi preso em flagrante em Montes Claros , durante a operação DarkNet de combate à pedofilia, deflagrada pela Polícia Federal nesta quarta-feira (15). Foram expedidos 93 mandados de busca, de prisão e de condução coercitiva em 18 Estados e no Distrito Federal. Outros 12 mandados são cumpridos em Portugal, Colômbia, México, Venezuela e Itália. Da casa do rapaz de 20 anos, onde foi cumprido um mandado de busca e apreensão, foram recolhidos um computador, cartões de memória, dvds, um celular e um pendrive.

Montes Claros - Jovem é preso pela PF em operação contra de combate à pedofilia
Montes Claros – Jovem é preso pela PF em operação contra de combate à pedofilia

A Operação DarkNet é resultado de um ano de investigações. Mais de 14 endereços IP (sigla para “Internet Protocol”, espécie de endereço virtual) foram analisados. Entre os investigados, há policiais, empresários e até mesmo padres.

“Foi constatado que em maio do corrente ano ele disponibilizou na internet vídeos envolvendo cenas de sexo entre crianças”, afirma o delegado da Polícia Federal, Pedro Dias dos Santos. Além disso, os policiais encontraram no computador do rapaz outros vídeos nos quais crianças faziam sexo entre si e também com adolescentes.

O delegado também destaca que “o rapaz vai responder por  pedofilia, sendo que pelo crime cometido em maio do corrente ano [transmissão dos vídeos com cenas de pornografia] a pena máxima é de seis anos e pela posse das imagens constatadas hoje, a pena máxima é de até quatro anos.”

O avô dele esteve na delegacia acompanhado de um advogado. Ele disse que o neto e mora com a mãe no Bairro Jaraguá, é casado e tem um filho. Falou também que ficou surpreso , já que o neto é trabalhador e nunca tinha se envolvido com nada parecido.

Sobre a operação
A investigação ocorreu através do rastreamento de pornografia infantil na chamada deep web, espaço da internet que não é acessado pelo usuário convencional e cujo conteúdo não aparece em sites de busca. Para chegar até ela, é necessário ter um programa que torna a navegação anônima, o que impede a identificação de quem manda e recebe dados da internet.

Através de metodologia de investigação inédita e ferramentas desenvolvidas, os policias federais conseguiram quebrar esse paradigma e identificar mais de 90 usuários que compartilham pornografia infantil. Segundo a PF, apenas as polícias norte-americana e inglesa, FBI e Scotland Yard, haviam realizado este tipo de trabalho.

Segundo a PF, no decorrer da investigação, pelo menos seis crianças foram resgatadas de situações de abuso ou do iminente estupro, em diversos locais do Brasil. Em um dos casos, um pai relatava que iria abusar da filha assim que ela nascesse. Nesses episódios, policiais federais agiram e evitaram que as crianças permanecessem ou se tornasse vítima, prendendo quatro investigados.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Norte de Minas - Mirabela recebe encontro de carros antigos neste domingo

Norte de Minas – Mirabela recebe encontro de carros antigos neste domingo

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Norte de Minas …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).