Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Seca deixa prejuízo de R$ 1,5 bilhão no Norte de Minas

Norte de Minas – Seca deixa prejuízo de R$ 1,5 bilhão no Norte de Minas

A seca contabilizou prejuízo estimado de R$ 1,5 bilhão nos últimos três anos no Norte de Minas, à agricultura e à pecuária. Para reconstruí-lo, projeta-se a necessidade de investimentos de recursos da ordem de R$ 5 bilhões nos próximos três anos. A estimativa é do gerente regional da Emater, Ricardo Demichelli, ao participar do Programa Na Corda Bamba na Rádio Terra AM, nessa sexta-feira, das 13 às 14h30. Ao reafirmar que o quadro é extremamente grave, ele deixou claro que a região atravessa uma das piores secas dos últimos anos e que a população precisa se conscientizar e rever conceitos, especialmente no uso da água. Embora reconhecendo a fragilidade da representação política em nível federal, ele sugere a união de forças, de todos os deputados votados nesta porção de Minas, nas eleições deste ano, em torno de um projeto consistente para sua reconstrução.

Norte de Minas - Seca deixa prejuízo de R$ 1,5 bilhão no Norte de Minas
Norte de Minas – Seca deixa prejuízo de R$ 1,5 bilhão no Norte de Minas

A construção de barragens, na visão do dirigente, é fundamental para amenizar o problema da falta de água, que se agrava com o passar do tempo, em que rios, córregos e poços, estão secando. A cada ano, as dificuldades aumentam, sem que o poder público adote medidas mais consistentes para que o norte-mineiro conviva com a seca. Lança mão, sempre, das medidas de sempre, de distribuição de água em caminhões-pipas e distribuição de cestas básicas. Em sua visão, é preciso avançar, com a adoção de medidas duradouras e eficazes para amenizar o drama da falta de chuvas. Entende que a população também precisa colaborar ao rever conceitos no tocante ao consumo de água. O uso racional, neste caso, é a melhor alternativa, recomenda.

PREJUÍZOS – Os prejuízos causados pela seca com a perda de grãos são estimados em pelo menos R$ 800 milhões. Sem chover regularmente, nos últimos três anos, as perdas no setor, de acordo com Ricardo Demichelli foram das mais significativas, deixando os produtores em situação extremamente difícil. Assim, registrou-se queda substancial na produção agrícola, o que aumenta a dificuldades de as famílias garantirem a sobrevivência.

A pecuária também, garante, sofreu prejuízos consideráveis, da ordem de R$ 700 milhões, com a venda de parte do rebanho, para outras regiões, em função da falta de água e de pasto, a preços abaixo do mercado. Somam-se a isto, as mostres de animais e a queda na produção de leite, em torno de 60 por cento. A estimativa é de que somente nos últimos seis meses, a venda de cabeças de gado tenha chegado a um milhão. O rebanho, que era de mais de três milhões, hoje é pouco mais de dois milhões. Com isso, a Emater estima que os prejuízos ultrapassem R$ 1,5 bilhão.

RECONSTRUÇÃO – Para Ricardo Demichelli, é urgente a necessidade de união de esforços da classe política e diferentes setores da sociedade, com o propósito de elaborar projeto de reconstrução da economia do Norte de Minas. A estimativa é de que sejam necessários investimentos da ordem de R$ 5 bilhões, nos próximos três anos, com um novo modelo de crédito para a atividade agropecuária, com prazo mais dilatado. Os recursos, garante, são para se investir em diversas ações como, conservação de água e solo e recuperação de pastagens.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).