Inicio » Norte de Minas » Norte de Mina – Produtores do Norte de Minas pedem ao governo para adiar a vacinação contra a aftosa

Norte de Mina – Produtores do Norte de Minas pedem ao governo para adiar a vacinação contra a aftosa

O presidente da Associação dos Produtores Rurais do Norte de Minas e do Vale do Jequitinhonha (Aspronorte), José Aparecido Mendes dos Santos, encaminhou  uma correspondência ao governo estadual solicitando que seja adiada para dezembro a vacinação contra a aftosa no rebanho bovino. O líder rural justifica o adiamento devido a situação de emergência nestas duas regiões diante da seca e a expectativa é de que poderá chover nos próximos dias e, com isso, o gado poderá ter recuperado peso o suficiente para ser vacinado.

José Aparecido Mendes Santos, presidente da Aspronorte: adiar para dezembro a vacinação no rebanho mineiro contra a aftosa. Foto Paulo & Galego
José Aparecido Mendes Santos, presidente da Aspronorte: adiar para dezembro a vacinação no rebanho mineiro contra a aftosa. Foto Paulo & Galego

Entre 1º de janeiro deste ano e o dia 24 de outubro choveu menos de 250 milímetros no Norte de Minas e no Vale do Jequitinhonha. Essa campanha de vacinação no momento que o gado está muito debilitado pode ocasionar maior número de mortes do que já vem ocorrendo diante da dificuldade de manejo dos bovinos para receber a vacina que já causou a morte de mais de 110 mil cabeças.

José Aparecido Mendes, que também é presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Janaúba, tenta sensibilizar o governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, juntamente com o secretário de estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, André Merlo, e o diretor geral do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Altino Rodrigues Neto, para que a campanha de vacinação contra a febre aftosa seja transferida a partir de dezembro deste ano e não de 1º a 30 de novembro, como estabelece o calendário do governo.

De acordo com o presidente da Aspronorte, a necessidade de alongamento do prazo de vacinação do gado contra a aftosa é devido às dificuldades em que a maioria absoluta dos municípios se encontra, estando em estado de Emergência, atravessando por uma grande seca, uma das maiores nos últimos 50 anos. José Aparecido ressalta que a situação demonstrada no relatório da Emater-MG do município de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, é notadamente a mesma a todos os municípios que compõem a área da Aspronorte.

A Aspronorte abrange 43 sindicatos de produtores rurais em 88 municípios representando mais de 33 mil produtores. Segundo o presidente dessa entidade, José Aparecido Mendes, a região de representatividade da Aspronorte tem no agronegócio a sua principal atividade socioeconômica. Importância esta que pode ser visualizada pelo rebanho de 2,8 milhões de cabeças de gado na área de abrangência desta associação, conforme dados oficiais do IMA na campanha de vacinação de maio deste ano.

O pedido da Aspronorte junto ao governo estadual atende todo o Norte de Minas e o Vale do Jequitinhonha, e principalmente ao desejo dos produtores dos municípios de Araçuaí, Medina, Pedra Azul, Santa Cruz de Salinas, Coronel Murta, Virgem da Lapa, Berilo, Itinga, Jose Gonçalves de Minas e Jenipapo de Minas no Jequitinhonha e Mato Verde, Monte Azul, Espinosa, Gameleiras, Pai Pedro, Matias Cardoso, ou seja, todo o extremo norte na divisa com o estado da Bahia.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).