Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Projeto pode ser o maior elemento de transformação socioeconômica da região

Norte de Minas – Projeto pode ser o maior elemento de transformação socioeconômica da região

Na última terça-feira, 28, entidades se reuniram para conhecer o estudo de viabilidade logística e de infraestrutura ferroviária na região do Grande Norte de Minas que prevê a possibilidade de criação de 402 km de malha ferroviária, ligando o Norte de Minas ao Porto Sul em Ilhéus, na Bahia. O Seminário promovido pela Agência de Desenvolvimento da Região Norte de Minas – ADENOR – tratou este estudo como o maior projeto de transformação regional do século 21.

José Queiroz de oliveira, Assessor da diretoria da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, coordenador do grupo de Trabalho Trens de Passageiros, apresentou alguns dados que colocam este tipo de transporte como alternativa barata e sustentável
José Queiroz de oliveira, Assessor da diretoria da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, coordenador do grupo de Trabalho Trens de Passageiros, apresentou alguns dados que colocam este tipo de transporte como alternativa barata e sustentável

A malha ferroviária no país é de 28 mil km, destes, apenas 38% são explorados. No que se refere ao transporte de carga, existem alguns projetos de extensão desta malha até Ilhés – BA. De acordo com Luiz Antônio Athayde, subsecretário de Investimentos Estratégicos da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, “um estudo aponta que há a possibilidade de ligar o Norte de Minas ao Porto, a partir da FCA (Ferrovia Centro- Atlântica) interligando a FIOL (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) por meio da  construção de  402 km de ferrovia”.

Ele pontua que “a região tem a demanda de 29 bilhões de toneladas de minério, além de gás, grãos e produtos diversos. Um minerioduto não seria a melhor alternativa de transporte, visto que utiliza a água, um bem escasso, ecologicamente inviável nos moldes das empresas multinacionais, possíveis investidoras”.

Athayde defende o estudo do projeto na agenda de desenvolvimento regional pelas entidades e lideranças o quanto antes, mobilizando os setores privados e governo. “Temos de pensar globalmente e agir localmente. A ferrovia pode ser o principal instrumento de desenvolvimento do Norte de Minas e sua inserção no mercado global. Um projeto transformador que vai trazer um novo padrão de logística no transporte com a geração de milhares de empregos, induzindo e exploração de riquezas adormecidas no grande Norte”.

 A ferrovia tem ainda o viés da exploração múltipla, concomitante com o trem de passageiros. José Queiroz de oliveira, Assessor da diretoria da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, coordenador do grupo de Trabalho Trens de Passageiros, apresentou alguns dados que colocam este tipo de transporte como alternativa barata e sustentável.

Numa análise do transporte urbano, 39% da população utiliza carro individual, 25% o ônibus e apenas 3,8% utiliza o trem. Cerca de 22 projetos de trem de passageiros estão em estudo no país, um deles é Montes Claros – VLT, com reaproveitamento da malha da FCA. José Queiroz aponta o Estado de Minas como referência nos projetos de viabilidade de trens, a partir do laboratório de estudos da UFMG, com obras aprovadas em outros Estados, inclusive. “Quem sabe o que é melhor para o Norte de Minas é o norte-mineiro. As oportunidades estão aí, existe a demanda, mas depende de vontade e ação”, concluiu.

Participaram da reunião, empresários e representantes da ACI, Sociedade Rural, Fundetec, CDL, Prefeitura, Sicoob Credinor, Sindicato Rural, Sicoob Credinosso, Fiemg, Lafarge, Corpo de Bombeiros e Codemc. Segundo Reinaldo Landulfo, Secretário Municipal de Desenvolvimento, “a administração tem consciência desta realidade e está avançando nas discussões do uso da ferrovia, com o apoio da Adenor e Codemc. O tema já está no planejamento do Plano Diretor  de Montes Claros”, garante.

O presidente da Adenor, Pávilo Miranda, destacou que projetos que tratem do desenvolvimento regional, de forma sustentável (ecologicamente correto, economicamente viável, cuturalmente aceito e socialmente justo) são a premissa da Agência de Desenvolvimento. Devemos despertar a sociedade para nossas riquezas e nos apoderar delas, visando a qualidade de vida para toda a população. A ferrovia pode ser uma realidade tangível se nos voltarmos para ela com mais propriedade, assim como a ‘Aerotrópole’  e ‘Rregião metropolitana de Montes Claros’, projetos defendidos também pela ADENOR.

Agência Mosaico

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).