Inicio » Economia » Cresce inadimplência nos financiamentos aos idosos

Cresce inadimplência nos financiamentos aos idosos

Impulsionados pela facilidade do crédito consignado, os idosos estão se tornando cada vez mais inadimplentes. De acordo com dados do Indicadores Econômicos do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), divulgados nesta segunda-feira (10), no mês de outubro o total de endividados na faixa etária entre 85 e 94 anos cresceu 10,53% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Já entre os mais jovens, com idade entre 18 e 24 anos, houve uma redução do número de endividados de 8,04% em igual período.

Na comparação entre setembro e outubro de 2014, o número de inadimplentes na faixa etária entre 85 e 94 anos cresceu 1,64%
Na comparação entre setembro e outubro de 2014, o número de inadimplentes na faixa etária entre 85 e 94 anos cresceu 1,64%

De acordo com o SPC, também houve crescimento de 7,18% no total de endividados com idade entre 65 e 84 anos. “Do lado dos mais velhos, vemos uma população que está se bancarizando recentemente e que tem acesso a novos instrumentos de empréstimos, como por exemplo, o consignado. É um instrumento relativamente novo para uma população que não estava acostumada a lidar com isso e acaba se enroscando. A gente sabe que o consignado, às vezes, se torna uma armadilha porque o idoso compromete boa parte da sua renda”, argumentou a economista-chefe do SPB, Marcela Kawauti.

A redução do percentual de endividados em relação à população mais jovem é explicada pelo fato de que os jovens brasileiros têm demorado mais tempo a deixar a casa dos pais e começar efetivamente a vida adulta. “O que acontece é que os mais jovens são aqueles que estão demorando mais a entrar no mercado de trabalho e na vida adulta de fato. Demoram mais a se casar, ficam estudando por mais tempo e, portanto, tomam dívidas grandes de maneira menor do que no passado. Também vemos pessoas adiando a compra de apartamento”, disse Kawauti.

Na comparação entre setembro e outubro de 2014, o número de inadimplentes na faixa etária entre 85 e 94 anos cresceu 1,64%. Na faixa etária entre 65 e 84 anos, subiu  1,84%. E, na faixa de 18 a 24 anos caiu 0,35%. Em relação à participação no total de inadimplentes no país, encabeçam a lista de devedores as pessoas entre 30 e 50 anos de idade.

“O crescimento [do total de inadimplentes] é maior entre as pessoas de mais idade, mas a participação no total de dívidas é ainda maior para as pessoas entre 30 e 50 anos. Isso tem [que] ver com o ciclo de vida. É uma época em que as pessoas têm filhos, compram  apartamentos, é têm mais dívidas e, portanto, maior participação na inadimplência”, explicou a economista do SPC.

Ao todo, no mês de outubro deste ano, as pessoas com idade entre 30 e 39 anos correspondiam a 26,85% dos endividados, enquanto na faixa etária entre 40 e 49 representavam 19,37%. Os idosos, com idade entre 85 e 94 anos, somavam 0,96%. Os jovens entre 18 e 24 anos correspondem a 10,30% do total de inadimplentes.

Agência Brasil

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).