Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Projeto Hidroagrícola Jequitaí leva mais desenvolvimento para a região Norte de Minas

Norte de Minas – Projeto Hidroagrícola Jequitaí leva mais desenvolvimento para a região Norte de Minas

Promover o desenvolvimento regional integrado com base no uso múltiplo da água. É isso que o Projeto Hidroagrícola Jequitaí, no Norte de Minas, pretende com a instalação de duas barragens, um perímetro de irrigação e, futuramente, geração de energia elétrica. A Ruralminas é responsável por todo o processo de pré-obra, como a obtenção da Licença de Instalação (LI), elaboração dos trabalhos socioambientais, sociais e culturais. Entre eles estão o Plano de Assistência Social (PAS), que organiza ações de proteção social para a população atingida direta ou indiretamente pela construção das barragens; e o Plano de Gestão Ambiental Integrada (PGAI), que tem como meta assegurar a implantação e o monitoramento dos programas propostos no licenciamento ambiental do sistema de barragens de múltiplo uso.

Norte de Minas - Projeto Hidroagrícola Jequitaí leva mais desenvolvimento para a região Norte de Minas
Norte de Minas – Projeto Hidroagrícola Jequitaí leva mais desenvolvimento para a região Norte de Minas

A Barragem I já está em obras e formará um lago que irá beneficiar as cidades de Claro dos Poções, Francisco Dumont e Jequitaí. A previsão é que a obra esteja concluída no início de 2016. A Barragem II, que abrangerá apenas o município de Jequitaí, terá sua construção iniciada no mesmo ano. O empreendimento total será concluído em 2025.

Com o inicio da implantação do projeto, a região vive um novo ciclo de desenvolvimento socioeconômico regional sustentável. São gerados mais empregos, melhoria na qualidade de vida da população, nas condições ambientais e redução do ciclo de esvaziamento demográfico da região. O projeto Jequitaí promove, além do desenvolvimento regional, os usos múltiplos e racionais da água: irrigação de 35 mil hectares no Vale do Jequitaí, com a previsão de produção de 420 mil toneladas/ano, e geração de 100 mil empregos diretos e indiretos; revitalização do rio São Francisco, regularização de vazões do rio Jequitaí, controle de cheias, geração de energia elétrica, potencial para abastecimento público, ecoturismo, recreação e lazer, piscicultura e outros usos.

Para o diretor técnico da Ruralminas, Amilton José Rodrigues Reis, o empreendimento irá beneficiar toda a região, que vive um novo ciclo de desenvolvimento socioeconômico regional sustentável. “Serão gerados mais empregos e renda, a população contará com melhores condições de vida, redução do ciclo de esvaziamento demográfico da região, além de melhorias nas condições ambientais”, afirma.

Para a construção da Barragem I foram investidos aproximadamente R$ 60 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Revitalização). Nas ações de pré-obra foram investidos R$ 130,5 milhões através da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba) e R$ 14,5 milhões do Governo de Minas Gerais.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).