Inicio » Cultura MOC » “A História da Eternidade” no Cinema Comentado em Montes Claros

“A História da Eternidade” no Cinema Comentado em Montes Claros

“A História da Eternidade” no Cinema Comentado em Montes Claros
“A História da Eternidade” no Cinema Comentado em Montes Claros

Neste sábado, 22, o Cinema Comentado Cineclube, em parceria com o projeto Curta Circuito, realiza o lançamento de “A História da Eternidade (2014), dirigido por Camilo Cavalcante. Ganhador de cinco prêmios no Festival de Paulínia (SP), o filme traz a história de três mulheres: Alfonsina tem 15 anos e sonha conhecer o mar. Querência está na faixa dos 40. Das Dores já no fim da vida, recebe o neto após um passado turbulento. No sertão, elas compartilham sobrenome e muitos sentimentos. Amam e desejam ardentemente.

Ao apresentar o longa na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Cavalcante o descreveu como uma fábula poética sobre o amor. Com duração de duas horas, A História da Eternidade está dividido em três partes com os curiosos títulos de Pé de Galinha, Pé de Bode e Pé de Urubu – pé no sentido de árvore. Na maioria do tempo, a câmera está parada, o que parece aumentar o impacto de um plano-sequência de 360 graus protagonizado por Irandhir Santos ao som de “Fala”, música da década de 1970 do grupo Secos & Molhados. Visto como esquisito para os padrões locais, seu personagem mostra o quão presas aquelas pessoas estão e como as suas visões de mundo são limitadas.

Além da bela maneira escolhida por Cavalcante para contar a história, com um enredo bem amarrado, o diretor de fotografia Beto Martins caprichou nas imagens. A inspiração, segundo disse em entrevistas, foi nas cores dos quadros do pintor italiano Caravaggio, do século XVI. Em especial as cenas noturnas, com as casas iluminadas por uma luz elétrica fraca ou por lamparinas, lembram telas. O filme ainda tem as excelentes atuações das três atrizes, as experientes Marcelia Cartaxo e Zezita Matos e a estreante Débora Ingrid.

Para o crítico Lucas Salgado, do site AdoroCinema, “Cavalcante realizou um trabalho ousado e belíssimo ao retratar a rotina de uma vila esquecida pelo mundo no nordeste brasileiro. O filme é um exemplo claro, e nada comum, de trama emotiva que não é prejudicada pelo rigor estético, que é a marca da produção. Atuações marcantes, trilha excepcional, direção precisa… O longa é uma experiência marcante para o espectador. É poesia em cena”. Classificação etária do programa: 16 anos.

As sessões do Cinema Comentado Cineclube acontecem aos sábados, a partir das 19h, na sala Geraldo Freire, no prédio da Prefeitura. A entrada é grátis e todos os interessados podem comparecer e participar das exibições. Depois da sessão, acontece um bate-papo com a platéia sobre os filmes apresentados.

Próximas Atrações
29/11 – “Azul é a Cor mais Quente” (França, 2013), dir: Abdellatif Kechiche.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).