Inicio » Minas Gerais » Alto Paranaíba » MG – PRF prende motorista que transportava 440 relógios sem documentação na BR-365

MG – PRF prende motorista que transportava 440 relógios sem documentação na BR-365

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na noite de quinta-feira (19) um motorista que transportava 440 relógios sem a documentação legal. O condutor do Kadet, com placa de Maceió (AL), foi abordado no km 413 da BR-365, em Patos de Minas, região do Alto Paranaíba.
MG - PRF prende motorista que transportava 440 relógios sem documentação na BR-365
MG – PRF prende motorista que transportava 440 relógios sem documentação na BR-365

Conforme os agentes, os relógios estavam escondidos no interior da caixa de ar nos dois lados do automóvel. O homem informou que comprou a mercadoria no Paraguai. Contudo, ele não possuía despacho aduaneiro. Por isso, o material foi apreendido para a Receita Federal, onde a ocorrência foi registrada.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).