Inicio » Colunistas » Coluna – Amizade Inconcussa

Coluna – Amizade Inconcussa

A história de um país que remete-nos a antiguidade histórica também leva-nos a lembrar 22 de novembro como a data que revigoraa história de um povo que carrega em sua bagagem  a marca das lutas, das dificuldades, e mas também não tão menos importante uma sequencia de muitas conquistas, alegrias e glórias. A história libanesa remonta há mais de seis mil anos de cultura e escrita, herdando todo o arcabouço adquirido pelas viagens de comércio do antigo povo fenício, que tantas contribuições nos legou.

Foi cultuando os valores que consagram a liberdade que adquiriram sua identidade política. Criou o alfabeto fonético, o Alfabeto de Biblos, com 22 letras, e propagou-o pelo mundo. Também Biblos é a cidade mais antiga do mundo a editar a Bíblia.     Já no século II depois de Cristo, Beirute era chamada de a Mãe das Leis, porque já possuía sua Escola de Direito, que teve um papel preponderante no  Código de Justiniano. Nessa Constituição,  Papiniano, ensinou que a igualdade de todos é a liberdade de cada um.Regra que se fosse seguida à risca, facilitaria enormemente nossas relações interpessoais.

Seguindo a história, quando o império otomano ruiu, a França e a Reino Unido disputaram o território entre si. Depois de alguns desentendimentos, chegaram a um acordo em 1916: a Síria e o Líbano ficariam com a França, e o Egito, a Jordânia e o Iraque, com os britânicos. Com  fulcro no lema “dividir para governar”, a França tratou de separar administrativamente o Líbano da Síria, formando dois Estados.

No que tange à origem da palavra “Líbano” ou “Lubnam”, a versão mais discrepante das demais é aquela segundo a qual o termo deriva da raiz árabe “Lbn”, que significa “branco” ou “ser branco”, em referência ao cume do monte de mesmo nome, que fica coberto de neve até o começo do verão.

Outrossim, a simbiose do homem da montanha e do homem do mar moldou o libanês com nítidos contornos de humanismo, propiciando-lhe as condições necessárias para a edificação de uma civilização expansiva e liberal, acessível a outros povos, muitos dos quais a assimilaram em função de uma real identificação com ela. Revolvendo o reconhecimento cabal da condição de País dos Cedros; de ponto de equilíbrio e encruzilhada da cultura ocidental com várias culturas orientais de países de língua árabe, de assimilador de raças e de harmonizador de credos religiosos

A imigração libanesa para o Brasil começou há mais de 140 anos, quando no porto de Santos desembarcaram as primeiras famílias. Aliás, para se ter uma ideia a cidade de Lucy,  é uma cidade libanesa onde mais se fala português do que árabe. Entrementes, ao fugir das perseguições econômicas e políticas, das guerras e da falta de oportunidades que lhe eram oferecidas na época, os libaneses encontraram um Brasil eivado de generosidade, hospitalidade, além de expectativa de vida, trabalho e lazer.

Por Rosildo Barcellos

Rosildo Barcellos
Rosildo Barcellos
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).