Inicio » Nacional » Brasil – Capoeira pode virar Patrimônio da Humanidade

Brasil – Capoeira pode virar Patrimônio da Humanidade

A capoeira, um dos símbolos culturais do país que mistura arte marcial, música e dança, pode ganhar reconhecimento internacional. Nesta quarta-feira (26), a Unesco pode declarar a modalidade esportiva como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. O título está sendo discutido durante a 9ª Sessão do Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda, que acontece em Paris, na França.
Brasil - Capoeira pode virar Patrimônio da Humanidade
Brasil – Capoeira pode virar Patrimônio da Humanidade

No Brasil, a capoeira já é reconhecida como Patrimônio Nacional, desde 2008, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Em Minas
No Estado, 437 municípios possuem grupos ou mestres em capoeira, segundo o Iphan. “O processo de reconhecimento cria uma agenda de planejamento, o que possibilita ações para a salvaguarda da capoeira”, explica a antropóloga e técnica do instituto, Vanilza Rodrigues.
Com o objetivo de ampliar as discussões sobre a modalidade, foi criado o Conselho de Mestres da Capoeira (Comcap), no ano passado, em Minas. “Nosso objetivo é a criação de políticas públicas que possibilitem a ampliação da capoeira no Estado”, diz o membro do Comcap, Weverton Maurício Ribeiro, o mestre Legalzinho.
valorização
Para os capoeiristas, o reconhecimento simboliza o fortalecimento da identidade cultural. “A capoeira é mais que uma modalidade esportiva. É uma dança, uma luta, um jogo e a cultura de um povo”, avalia o mestre em capoeira Antônio Dias Neto.
Há 30 anos praticando a modalidade esportiva, Dias acredita que o novo título irá difundir a cultura por todo o mundo. “A capoeira está em mais de 160 países, divulgando nossa língua e nossa arte. Além da questão social em que é o tema é abordado”, destaca.
Ampliar a área de conhecimento sobre esse esporte também é considerado positivo. “A capoeira é uma prática cultural afro-brasileira. Cada mestre possui conhecimentos e isso precisa ser valorizado e preservado”, aponta o capoeirista José Agostinho Pessoa da Silva, o mestre Agostinho.
No Brasil, o reconhecimento como Patrimônio Cultural levou à criação de ações que beneficiam a comunidade capoeirística. Entre elas, estão um plano de previdência especial para os velhos mestres, o estabelecimento de um programa de incentivo dessa manifestação no mundo, a criação de um Centro Nacional de Referência da Capoeira e o plano de manejo da biriba – madeira utilizada na fabricação do berimbau, além de outros recursos. “Não queremos tornar a capoeira uma profissão regulamentada, mas sim acessível a todos, respeitando diferenças e particularidades. A cultura precisa ser preservada na essência”, reforça o mestre Legalzinho.
O que é patrimônio imaterial?
Entende-se por patrimônio cultural imaterial, representações da cultura brasileira. Estão inclusos as práticas, as formas de ver e pensar o mundo, as cerimônias (festejos e rituais religiosos), as danças, as músicas, as lendas e os contos, a história, as brincadeiras, os modos de fazer (comidas, artesanato, etc) e os instrumentos.
Consideram-se, também, objetos e lugares cuja tradição é transmitida de geração em geração pelas comunidades brasileiras.
Com a inclusão da capoeira, já existem 14 bens culturais registrados no Brasil.
Desde 2008, o Iphan reconhece o ofício dos mestres e a roda de capoeira como Patrimônio Nacional.
As informações são do Portal HD
------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

MG - Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

MG – Jovem inventa que mãe está passando mal para estuprar vizinha

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 5 de dezembro de 2016.MG – Jovem …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).