Inicio » Mais Seções » Saúde – Entenda o que é o hidrogel e quais são os riscos da aplicação no corpo

Saúde – Entenda o que é o hidrogel e quais são os riscos da aplicação no corpo

O caso de Andressa Urach, internada em Porto Alegre em estado grave com sepse, uma infecção geral do organismo, causada pela aplicação de hidrogel na coxa, chamou atenção de todo o país por ser um método amplamente divulgado como perigoso. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica condena veementemente o uso no corpo humano, com exceção de pacientes de Aids. Para esclarecer melhor sobre o caso, a reportagem  conversou com a cirurgiã plástica Ana Carolina Campolina, formada pelo Instituto Ivo Pitanguy, uma das maiores referências do mundo na área.

Andressa Urach está internada em estado grave desde o último sábado (29) por conta de complicações causadas pela aplicação de hidrogel na perna
Andressa Urach está internada em estado grave desde o último sábado (29) por conta de complicações causadas pela aplicação de hidrogel na perna

Saiba mais sobre o caso de Andressa Urach: Médico diz que Andressa Urach está com infecção potencialmente fatal

O que é o hidrogel?

É uma composição formada por 98% de água e 2% de poliamida. Dura cerca de 5 a 6 anos

Por que a substância não é indicada para aplicação no corpo humano?

A Sociedade Brasileira de Dermatologia não aprova como preenchedor estético assim como outras como o Metacril, porque são substâncias inabsorvíveis pelo organismo. No caso desta última, a Anvisa autoriza para portadores de HIV em pequenas quantidades na região da face. Isso porque esses pacientes tendem a perder gordura nessa região pelo uso de medicações e não têm a rejeição que o paciente saudável tem exatamente por ter deficiência de defesas no organismo.

Em que parte do corpo ele geralmente é aplicado?

No tecido subcutâneo, entre o músculo e a pele por meio de micro-cânula. Mas inevitavelmente acaba atingindo tecidos musculares. É muito difícil fazer essa aplicação e não penetrar na musculatura.

Ana Carolina Campolina é cirurgiã plástica formada pelo Instituto Ivo Pitanguy
Ana Carolina Campolina é cirurgiã plástica formada pelo Instituto Ivo Pitanguy

Que reações pode causar?

O corpo começa a não reconhecer aquela substância, o que causa uma reação inflamatória que pode causar dor, vermelhidão, pus e febre. Mas é importante citar que isso pode acontecer não só momento da aplicação, a reação pode vir dez anos depois.

Qual o tratamento indicado?

Tratar o tecido que está lá sem vitalidade e limpá-lo por meio de cirurgias.

Por que é tão complicada a retirada do hidrogel do corpo?

Quando você aplica em lugares indevidos o produto se entranha nos tecidos de uma forma que você não consegue retirar Quando você faz um procedimento cirúrgico para retirada acaba retirando tecido vivo e morto. É um risco grande. Como se você pulasse de avião com um para quedas só, sem reserva. Se o primeiro funcionar, tudo bem, mas se não, não há o que fazer.

Que efeito estético o hidrogel traz ao corpo?

Ele aumenta o volume da área em que é aplicado, geralmente pernas e bumbum. O mais indicado é lançar mão da prótese de silicone e gordura que é seguro e traz excelentes resultados.

A diferença é o preço, que tem levado as pessoas ao risco. O valor da aplicação do hidrogel varia de R$ 500 a R$ 5 mil. Já o silicone, para os glúteos, por exemplo, só a prótese custa R$ 2.500, mas traz a garantia de um procedimento eficaz e seguro.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Cultura Moc - Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Cultura Moc – Festa Nacional do Pequi começa na próxima semana

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Cultura Moc – …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).