Inicio » Minas Gerais » MG – Suspeito de matar funcionária pública é preso em Itamarandiba

MG – Suspeito de matar funcionária pública é preso em Itamarandiba

Muito nervoso e com sintomas de embriaguez, o homem tentou vender o carro da vítima em um povoado conhecido como Salgadinho; ele se envolveu em um acidente na localidade e acabou preso.

Muito nervoso e com sintomas de embriaguez, o homem tentou vender o carro da vítima em um povoado conhecido como Salgadinho; ele se envolveu em um acidente na localidade e acabou preso
Muito nervoso e com sintomas de embriaguez, o homem tentou vender o carro da vítima em um povoado conhecido como Salgadinho; ele se envolveu em um acidente na localidade e acabou preso

O suspeito de matar a funcionária pública Lucineia Cordelia Silva, de 37 anos, foi encontrado e preso em Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha, pouco mais de 24 horas após o crime que chocou a cidade de São José da Lapa, na região Central do Estado. Lucineia, que trabalhava como pregoeira na prefeitura do município, foi encontrada morta em sua casa, na manhã da última sexta-feira (5). O suspeito D.R.S., de 29 anos, que é o ex-namorado da vítima, é natural de Vespasiano e foi detido por militares do 3º Pelotão da 23ª Cia de Polícia Militar, depois que se envolveu em um acidente de trânsito na localidade de Salgadinho.

De acordo com o sargento Alcântara, que atendeu a ocorrência, no sábado (6), a corporação recebeu várias ligações de moradores do povoado de Salgadinho, informando que um homem com sintomas de embriaguez estava tentando, desesperadamente, vender um carro branco, modelo Chevrolet Ônix. Depois de várias tentativas sem sucesso, o suspeito saiu dirigindo o veículo pelo povoado e bateu em uma árvore. Em seguida, o carro pegou fogo e ficou completamente destruído. O motorista não se feriu.

Neste momento, a polícia chegou à localidade e alcançou o suspeito, que negou ter se envolvido no acidente e se identificou apenas pelo primeiro nome, recusando-se a passar outros dados pessoais. Ele foi levado para Itamarandiba e, enquanto os policiais registravam a ocorrência, um policial reformado que passava pela localidade de Salgadinho encontrou uma carteira com documentos que, supostamente, pertenciam ao autor. Ele entrou em contato com os militares que estavam como caso, que cruzaram as informações e conseguiram confirmar que a identidade do suspeito.

Segundo a PM, D.R.S. tinha um mandado de prisão em aberto e passagens anteriores pela polícia por embriaguez ao volante e furto. Durante o registro da ocorrência, ele desacatou e ameaçou os policiais, recusando-se a informar dados pessoais.

De acordo com o sargento Alcântara, a perícia confirmou, pelo chassi, que o carro incendiado pertencia a uma mulher de São João da Lapa, ex-namorada do autor e que tinha sido encontrada morta na última sexta (5). Após o registro do ocorrido, o suspeito foi levado para um presídio em Capelinha, no Vale do Jequitinhonha.

O caso

Lucineia Cordelia Silva, de 37 anos,  foi encontrada morta, em cima da própria cama, no dia 5 de dezembro. Colegas da funcionária pública, que trabalhava como pregoeira na Prefeitura de São José da Lapa, estranharam o atraso dela e acionaram a PM.

No mesmo dia, Lucineia foi encontrada morta com perfurações no pescoço e no braço. O principal suspeito, o ex-namorado da vítima, desapareceu após o crime.

Lucineia morava sozinha e tinha acabado de se formar em direito. Ela iria buscar a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) nesta próxima semana.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Aldeci Xavier

Coluna do Aldeci Xavier – Preto no Branco

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 10 de dezembro de 2016.Coluna do Aldeci …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).