Inicio » Nacional » Brasil – Ministério da Saúde confirma primeiro caso de ‘febre do Nilo’ no brasil

Brasil – Ministério da Saúde confirma primeiro caso de ‘febre do Nilo’ no brasil

Caso confirmado no Piauí estava sendo investigado desde agosto deste ano, quando o paciente apresentou encefalite (inflamação do cérebro).

Brasil - Ministério da Saúde confirma primeiro caso de 'febre do Nilo' no brasil
Brasil – Ministério da Saúde confirma primeiro caso de ‘febre do Nilo’ no brasil

O Ministério da Saúde confirmou nesta terça-feira (9) o primeiro caso no país de uma infecção conhecida como “febre do Nilo”, em um trabalhador rural do Piauí. O nome da doença ocorre por ser originária do Egito, norte da África.

O caso estava em investigação desde agosto deste ano, quando o paciente apresentou encefalite (inflamação do cérebro). A doença foi confirmada no fim de novembro, após a realização de dois exames sorológicos específicos para a detecção do vírus.

O Ministério da Saúde trata o caso como isolado e diz que investiga a forma de transmissão e como o vírus chegou ao país. Em nota, nega a possibilidade de ocorrer uma epidemia e afirma que o caso “não representa risco para a saúde pública do Piauí e do Brasil”.

Após os primeiros sintomas, o paciente apresentou dificuldades para andar e terá que passar por fisioterapia. Segundo a pasta, ele estava internado no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, em Teresina, e teve alta nos últimos dias.

Transmissão

Ainda não há confirmação de como o vírus chegou ao país. Uma das hipóteses é que ele tenha sido transmitido após um mosquito picar uma ave contaminada e, em seguida, transformar-se em vetor da doença. O vírus é transmitido por mosquitos comuns, principalmente do gênero Culex.

Segundo a pasta, outros países, como Estados Unidos, já apresentam relatos da doença – uma das possibilidades investigadas é que o vírus tenha chegado ao país por uma ave migratória, por exemplo.

Ao todo, cerca de 80% dos casos em humanos não apresentam sintomas, de acordo com o Ministério da Saúde. Apenas 20% dos casos apresentam sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, fadiga, dores de cabeça e dores musculares ou articulares, e menos de 1% dos humanos infectados ficam gravemente doentes, sendo que a maioria dos casos graves acomete idosos.

Os sintomas graves incluem febre alta, rigidez na nuca, desorientação, tremores, fraqueza muscular e paralisia. As pessoas gravemente afetadas podem desenvolver encefalite ou meningite (inflamação das membranas do cérebro ou da espinal medula).

Ainda segundo o Ministério, não existe tratamento específico para a Febre do Nilo. O paciente fica hospitalizado em observação para suporte e controle de novas infecções.

Além do trabalhador que teve o caso confirmado no Piauí, outras quatro pessoas da região apresentaram sintomas, mas os exames descartaram a doença, informa. Além destes, foram realizados testes em mais 18 pessoas da região onde ocorreu o primeiro caso confirmado – todos os exames, no entanto deram negativo para o vírus.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).