Inicio » Minas Gerais » MG – Proteção das 370 mil nascentes da bacia do rio Doce ganha prêmio nacional

MG – Proteção das 370 mil nascentes da bacia do rio Doce ganha prêmio nacional

Um projeto arrojado poderá recuperar e proteger as mais de 370 mil nascentes da bacia do rio Doce, em municípios de Minas Gerais e Espírito Santo, nos próximos 30 anos. Ainda em fase experimental, o programa Olhos D’Água, desenvolvido na cidade mineira de Aimorés pelo Instituto Terra, já livrou pelo menos 1,2 mil nascentes da extinção. O resultado do trabalho rendeu à entidade um prêmio concedido pela Agência Nacional das Águas (ANA) no último dia 3, na categoria ONG.

MG - Proteção das 370 mil nascentes da bacia do rio Doce ganha prêmio nacional
MG – Proteção das 370 mil nascentes da bacia do rio Doce ganha prêmio nacional

Fundado por Sebastião Salgado e Lélia Wanick Salgado, o Instituto Terra já teve o mesmo programa reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma das 70 melhores práticas do mundo para proteção dos recursos hídricos. O próximo passo será a apresentação do projeto no Fórum Mundial da Água em 2015, que ocorrerá na Coréia do Sul.

“Daria esse prêmio mil vezes ao Instituto Terra. É um projeto para o futuro, mas com resultados imediatos”, diz o produtor Mário Cezar de Lacerda. Dono de uma área na comunidade de Penha do Capim, ele aderiu ao programa há cinco meses e as seis nascentes estão protegidas. “Onde existia só rastro de gado, o mato já cresceu. E as poucas chuvas já deram vida aos córregos”.

O fazendeiro Ramon Lopes, de São Sebastião da Vala, também comemora. A propriedade dele tem cinco nascentes e três já receberam proteção. “O verde reapareceu e a água aumentou. Esse projeto pode ser a solução para o planeta”, afirma.

“Essa premiação é uma chancela importante. O reconhecimento da ANA vai abrir portas, dar crédito. É uma espécie de selo que vai nos ajudar a captar recursos e parcerias para a execução do programa em toda a bacia”, diz Adonai Lacruz, superintendente do instituto.

A essência do projeto passa pelo viés da educação ambiental, mobilizando as comunidades rurais e envolvendo o poder público e o comitê da bacia.

Atualmente, o programa envolve oito cidades. Dividido em projetos menores, com parceiros, patrocinadores e locais de atuação diferentes, o instituto salienta que mais de mil nascentes estão protegidas ou em processo de preservação.

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).