Inicio » Internacional » Oceania – Mãe de 37 anos é acusada pelo assassinato de oito crianças na Austrália

Oceania – Mãe de 37 anos é acusada pelo assassinato de oito crianças na Austrália

As vítimas são quatro meninas de 2, 11, 12 e 14 anos, a última uma sobrinha da acusada, e quatro meninos de 5, 6, 8 e 9 anos

A mãe de sete das oito crianças encontradas mortas em uma casa de Cairns, norte da Austrália, foi acusada formalmente de assassinato, anunciou a polícia neste domingo, em uma nova tragédia que comove o país.

As vítimas são quatro meninas de 2, 11, 12 e 14 anos, a última uma sobrinha da acusada, e quatro meninos de 5, 6, 8 e 9 anos
As vítimas são quatro meninas de 2, 11, 12 e 14 anos, a última uma sobrinha da acusada, e quatro meninos de 5, 6, 8 e 9 anos

A mulher, de 37 anos, recebeu a notícia do indiciamento no hospital, segundo a polícia de Queensland. Os corpos dos oito menores de idade foram encontrados pelo irmão mais velho das vítimas na sexta-feira na casa da acusada no bairro de Manoora, em Cairns, na região nordeste do país.

As vítimas são quatro meninas de 2, 11, 12 e 14 anos, a última uma sobrinha da acusada, e quatro meninos de 5, 6, 8 e 9 anos. A família pertence à comunidade indígena do Estreito de Torres, população autóctone originária das ilhas próximas da costa do estado de Queensland.

A mulher foi encontrada com ferimentos de arma branca e levada para um hospital. A polícia não revelou as causas da morte das crianças. Várias pistas estão sendo examinadas, incluindo a possibilidade de asfixia. “Consideramos a possibilidade (de asfixia) e por isto precisamos de tempo”, afirmou Bruno Asnicar, um dos investigadores do caso.

No sábado, a polícia informou que facas foram encontradas no local da tragédia. As necropsias ainda estão em curso. A identidade da família não foi divulgada por razões culturais, já que na cultura indígena local os nomes dos mortos não devem ser mencionados.

A tragédia aconteceu poucos dias depois da tomada de reféns em um café Sydney, que terminou com três mortos, duas vítimas e o sequestrador. No atual momento de choque do país, o primeiro-ministro Tony Abbott pediu aos australianos uma união nacional para enfrentar “dias difíceis”.

Um memorial improvisado foi criado em um parque próximo ao local do crime, onde muitos moradores depositaram flores, acenderam velas ou deixaram ursos de pelúcia em homenagem às crianças. Parentes e amigos da família compareceram ao local para rezar.

Um homem, apresentado pela imprensa como o pai de três das crianças, gritava desesperado: “Meus bebês, meus bebês”.  O pai da vítima mais velha não escondeu a dor. “A última vez que a vi, ela me abraçou”, disse à Fairfax Media. “Ela disse que me amava e me pediu 100 dólares australianos. Eu disse que entregaria no sábado, dia de seu aniversário. Minha filha era linda”, completou.

Um casal de vizinhos descreveu o bairro de Manoora como difícil, marcado pelo alcoolismo e a violência. Mas o porta-voz da polícia considerou que as dificuldades do bairro não foram a causa da tragédia. “Não vou tentar supor que o bairro não tenha conhecido problemas no passado. Mas, com minha equipe, não consideramos esta questão como uma pista para a investigação”, completou.

Agência France Press

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).