Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Em nova reunião, vereadores deixam 100 mil moradores sem asfalto

Montes Claros – Em nova reunião, vereadores deixam 100 mil moradores sem asfalto

A população lotou o plenário da Câmara Municipal de Montes Claros na manhã desta segunda-feira (29), durante reunião extraordinária,  em busca de seus direitos. Eles não queriam nada mais do que ver  projeto de lei que garante mais qualidade de vida para inúmeras famílias montes-clarenses, aprovado. Saíram frustrados. Mais vez! Dessa vez, nem metade dos legisladores compareceu para defender os interesses daqueles que os elegeu!

A reunião ocorreu atendendo aos termos do parágrafo 2° do Regimento Interno da Câmara. Porém, devido à falta de quórum, cerca de 100 mil pessoas, 10 bairros ficaram prejudicados e não poderão receber o benefício.

A mesma reunião extraordinária já havia sido realizada na última sexta-feira (26). No entanto, na ocasião, o vereador Eduardo Madureira (PT), ao lado do presidente da Câmara, vereador Antônio Silveira (PMN), impediram que o projeto fosse apreciado. Eles argumentaram que alguns vereadores não haviam assinado a convocatória, apesar de existir quórum.

Os mesmos vereadores, juntamente com outros membros da bancada de oposição, já haviam tentado impedir o projeto anteriormente, quando recusaram a submeter o projeto à votação. Assim, o Executivo, por meio de uma decisão judicial, conseguiu fazer com que a Câmara fosse obrigada a apreciar o projeto. Dessa forma, os vereadores que trabalharam para impedir a votação, acabaram trabalhando contra o regimento interno e contra a própria lei.

Na reunião de sexta-feira, oito vereadores assinaram ofício exigindo que o parágrafo 2° do Regimento Interno fosse cumprido. O dispositivo prevê que “em virtude da não designação em tempo hábil da Reunião Extraordinária convocada pelo chefe do executivo municipal, cujo prazo regimental encerrou-se dia 27, sendo o dia 28 domingo, quando não havia expediente no legislativo municipal, a reunião deveria ser realizada, então, nesta segunda-feira, instalando-se automaticamente no 1° dia que seguiu ao prazo de 72 horas.

Porém, quando os vereadores  chegaram à Câmara para votar o projeto na manhã de segunda-feira (29), o que se viu foi um plenário vazio e uma plateia revoltada, repleta de moradores dos bairros que seriam beneficiados. Os vereadores esperaram por mais de uma hora para que os colegas chegassem, mas nada aconteceu. Apenas os vereadores que assinaram o ofício pedindo a reunião, querendo aprovar o projeto para beneficiar os moradores, compareceram.

O vereador Valcir da Ademoc (PTB) conversou com os moradores e pediu calma. Ele garantiu que vai se esforçar para que os moradores sejam beneficiados por meio de outros recursos a partir do próximo ano.

– Peço desculpas. Consciência é uma coisa que poucos têm, por isso somente oito vereadores estão aqui hoje para aprovar o projeto que beneficiaria vocês. É lamentável o que os outros colegas fizeram com todos os moradores, dificultando de todas as formas que este projeto não fosse votado – desabafou Valcir.

Os moradores demonstraram revolta, como é o caso Lucivanda Rodrigues, moradora do bairro Barcelona Park, um dos que seriam beneficiados.

– Eles tentaram de todas as formas e conseguiram destruir os nossos sonhos. É um absurdo que pessoas que votamos estejam trabalhando contra nós mesmos. Mas teremos novas eleições e já estamos com a relação de todos eles. Eles podem ter certeza que o voto dos moradores dessas ruas eles não receberão – disse.

O morador Marcelo Cristiano também desabafou.

– Os vereadores Silveira e Eduardo Madureira fizeram de tudo para que este projeto não fosse aprovado, e conseguiram. Eles conseguiram fazer com que 100 mil moradores continuem morando em ruas de terra. Guardamos os nomes de todos os vereadores que não estão aqui hoje – observou.

O projeto que garantia os recursos deveria ter sido aprovado para ser enviado ao governo Federal até esta terça-feira (30), porém, por oposição de alguns vereadores, ele não foi votado.

Os bairros beneficiados seriam Village do Lago I, Universitário, Conjunto Bandeirantes, Santo Antônio, Alto da Boa Vista, Santo Inácio, Jardim Primavera, Nossa Senhora das Graças e Santa Rafaela.

Enquanto o povo continua morando na poeira e na lama, a preocupação dos vereadores de oposição é preparar a festa de inauguração da nova Câmara, que será entrega com obras pela metade, em função do narcisismo do atual presidente, vereador Silveira, que ter o nome gravado na placa. A festa vai ser regada a muita comida e bebida. Mas só para poucos, porque o povo, que está bancando tudo não foi convidado.

Leia a matéria da festa de inauguração da Câmara de Vereadores de Montes Claros.

Montes Claros – Inauguração da nova Câmara Municipal vai ter 6.000 salgados e 15 caixas de cerveja de entre outros

------------------------------------------------------------------------

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal Montes Claros


------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------

Leia Também

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Temer sanciona com veto lei que repassa custos do Fies com bancos para faculdades

Compartilhar no WhatsApp* Por: Jornal Montes Claros - 2 de dezembro de 2016. Temer sanciona …


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e email válido).